quarta-feira, abril 25, 2007

Promessas

Entre os travesseiros
e as bainhas dos lençóis
o amante promete a menina,
decepções à rôta trama rotineira.
que cedo ou tarde nos forçam
a devolver
sem nenhum remorso
ou qualquer lembrança
que valha a pena,
os sonhos de um futuro
conquistado a duras penas!

Air Guitar:
Horror Head
Doppelganger - Curve

Entre Linhas:
Pato Donald - !966
Ed. Abril - Walt Disney

Ame o Amor!

terça-feira, abril 24, 2007

Quem esteve no meu quarto na última noite

Quem esteve no meu quarto na última noite...não lembro, se era quem achei que era ou se qualquer coisa que de manhã inventei uma desculpa para expulsá-la do "xpress kundalini" nesta "kama sutra"....quem beijou minha boca ? não sei se tinha mau hálito ou se sorria com dentes branqueados pela odontologia de milhares de reais dos dentistas que detém a técnica dos centavos, cheirando a salsa roubada aos nacos d'um balcão num hortifruti vulgar na esquina de um ponto de ônibus prá zona sul ou ao centro da cidade.... às pressas como quem não se importa, mais com as ansiedades propostas pelos atrasos, quase sempre ocasionais, como as situações que menos se espera acontecerem quando não se deseja que ocorram!

Tava chapado, achando que tava psicodelico, parecia que tava numa ambulância zoando o trânsito num engarrafamento me levando vitima de um avc maldito provocado por tanta birita que me impedia de fuder a vadia que me babava todo engolindo o que já era outra coisa elevado pelo comprimido que ficava acima de minhas espectativas usando um par de chifres tirando onda de demônia de cabelos vermelhos a engolir-me como se fosse um doce comprado em padaria de confeitaria duvidosa....quem esteve no meu quarto ontem beijando e me esfolando com a boca pintada de vermelho?...i fly!!!!...deixei de lado a falsa moral e esqueci o vitoriano contexto de sexualidade me deixei levar por inteiro sem me preocupar se era o vadio ou ela a mal falada !

... desenfreado feito verso inspirado em dedos de poetas a se mastubarem, ou feito, mosquitos compulsivamente, zunindo no ouvido, voei selvagem sobre o que me nego a confessar....só me lembro de quando fui pegar a última birita e o barman me disse tava ventando demais por aqui, então eu disse que se foda tô bebado demais pra comê-los....mais mesmo assim na ambulância ela me detonou em meio a coma alcoólica me deixando sorrindo por demais...vulgar que nem amor feito por quem se consente a traficar pau brasil pra tingir de carmim as cuequinhas de nobres e burgueses abastados que insistem em foder a dama das camélias!!!!!


Air Guitar:
Too much drunk to fuck!
Fresh fruit for rotting vegetables - Dead Kennedys

Entre Linhas:
Naúfragos, Traficantes e Degradados - Eduardo Bueno


Ouvi agora d'uma criança:
- Tem um mundo pra'eu brincar e colorir!

terça-feira, abril 17, 2007

Sê é que, sou !?

imagem: www.nobodyhere.com

Olhos que olham o escuro com visão noturna,
corpos que abusam da quimica: atras,
de serotoninas e o apaziguamento do desejo
mulheres mal ditas, pelo que elas tem de melhor
doar-se sem saber porque ou,
só pra sentir de novo, o que esqueceu da última vez...
dar-se de forma inevitavél ao inesperado
que acontece quer se queira ou não.

Engraçado olhar a gramática e não entender mais
a fonetika vulgar que transita pelas ruas de sapato alto,
num rebolado forçado à tentar o equilibrio num salto 15
e pernanecer em pé das 6:00 às 22:30 diariamente.
Fantasiando kantos gregorianos do amanhecer
ao por do sol até antes do jornal nacional,
necessitar de trinta moedas
e por elas se expor a justiça divina
cantar feito corista desafinado,
expulso do coro dos contentes
pela infalível deliberação papal...

Canonizar-se numa missa campal
sob a Santa Benção,
dizer; algo que ninguem vai ouvir
sobre a crueldade colonial
e se adaptar a vacina;
cria da sua própria decadência.

Quem sabe o meu nome,
o sabe para negá-lo durante a madrugada
que abençoa alguns e malediz outros,
como quem chama camelot, nuh trem,
p'rá saciar a sede! e esconder seu relógio
de aço cirurgico simbolo do status serviçal.

A palvra é tão dinâmika
que qualquer um pode falala lá
como quiser, ficar negro como o nanquim
das tatuagens....talvez,
dizer de novo o já dito
de maneira que nunca foi dita antes.
verbos acumulados como contas de água e de luz!
Light your fire....Light my fire....Light our fire
come on light the fire.....we gonna get try again!!!!

Verso é o karalho
vou falar assim sem metrica
de qualquer maneira, contradizer-me
feito bezerro a berrar diante da
infalibidade do pronunciado
carrasco que diz não
ter nada a ver com isso.





Air Guitar:
Speak to me
The dark side of the moom - Pink Floyd

Entre Linhas:

Almoço Nú
William S. Burroughs


I was here before you,
no matter what you do!

terça-feira, abril 03, 2007

A Genialidade da Multidão


Há bastante deslealdade,
ódio, violência,
absurdo no ser humano comum.
Para suprir qualquer exército em qualquer dia.
E o melhor no assassinato são aqueles
que pregam contra ele.
E o melhor no ódio são aqueles
que pregam amor.
E o melhor na guerra
Finalmente,
são aqueles que
pregam paz.

Aqueles que pregam deus
Precisam de deus.
Aqueles que pregam paz
Não têm paz.
Aqueles que pregam amor
Não têm amor.
Cuidado com os pregadores,
Cuidados com os sabedores.

Cuidado,
com aqueles que
estão sempre lendo livros.

Cuidado com aqueles que detestam
pobreza ou que são orgulhosos dela.

Cuidado com aqueles que elogiam fácil
Porque eles precisam de elogios de volta.

Cuidado com aqueles que censuram fácil:
Eles têm medo daquilo que não conhecem.

Cuidado com aqueles que
procuram constantes multidões;

eles não são nada, sozinhos.

Cuidado:
com o homem comum
com a mulher comum,
cuidado com o amor deles.

O amor deles é comum,
procura o comum.
Mas há genialidade em seu ódio
há bastante genialidade em seu
ódio para matar você,
para matar
qualquer um.

Sem esperar solidão.
Sem entender solidão.
Eles tentarão destruir
qualquer coisa,
que seja diferente
deles mesmos.

Incapazes de criar arte.
Eles não irão,
compreender arte.

Eles vão considerar sua falha
como criadores,
apenas como uma falha do mundo

Incapazes de amar
completamente.

Eles vão acreditar
que seu amor é
incompleto
e eles vão odiar você.

E seu ódio será perfeito.
Como um diamante brilhante.
Como uma faca.
Como uma montanha.
Como um tigre.
Como cicuta.

Sua mais fina arte.

Air Guitar:
Rusty Cage
Badmotorfinger - Soundgarden

Charles Bukowski

Gravity

Ao que nos agarraremos,
se a gravidade acabar?

Air Guitar:
Twin Sisters And Half A Bottle Of Bourbon
Karma to Burn - Karma to Burn


twist'ng in our sweat,
i feel your arms around me,
hearing his words in my mouth!