sábado, outubro 31, 2009

Ponto G...Cowboys do more dope!



Passo a passo
o limo vai tomando das novidades
o marasmo que constroem nas ruínas....
oito e meia da noite ninguém,
ainda me disse palavra alguma.

ninguém para afirmar
quem é a bola da vez.
...qualquer coisa entre
o taco, a bola & o Kaos do big bang.

ou, outra coisa que nunca
veremos amanhã ao meio dia e meio!
na miserável fila do curral eleitoral
na politica local.

serão? notas de $1 real...
só moedas tilintando ao mármore
no balcão dos angurrientos?
...nada de filet au poivre.

Será, a poesia?
tão efêmera
quanto o poeta,
rotineiro de meias palavras,
redundante na temática marginal
será? poesia ou,
a pretendência de poetar?

...ah num phode
quero só!
fazer hakais
meio versos....

4:3...16:9...2.35:1
meia poesia;
meio é sempre.
meio caminho para
porra nenhuma...

entre o é, e o seu é!
assim tão vulgar...
simplório como afirmar-se ser
"sick like a Tom waits song"
diria...
quem não quer falar nada,
fica quieto disfarçando
a dor de rir-se!

é poesia? então toma o verso
tão torto como o que
não conseguimos imaginar.
uma palavra se quiser pode valer
mais do que qualquer coisa.
ou menos do que ser alguma coisa,
imaginada!

palavra pode valer
uma só palavra e aí?
... valer-se de que?
o que é a vida se não
vestir-se do custo do amor?

mais de meio caminho andado
e ainda não chegamos a lugar algum...
aonde levarão estas arqueologias?
aonde levarão estas crenças primitivas
...sabe-se lá, não entendemos o mundo.

nutrir-se de cada fatia dessa
lazanha empanada
....assim como corpos mortos
que não contam estórias
mas, dão bons assados!

música de cowboys...
rodeios,
são câmaras de torturas
...como sub-empregos,
falsa promessa de,
libertação da miseria...

madre dulcíssima,
salva minha anima!

.....talvez amanhã
eu troque de calcinha!...
disse ela desprezando,
a idéia de multi-orgasmos!

Gozar, é não ter mais fome!