quarta-feira, setembro 28, 2005

AN INTERLINEATION AMONG SENTENCES.... (minimal mix#2 - um desaforado hai-kai).


I

As coisas são o que são,
e, o que virão a ser !

2

Redhead, Read Head!


quinta-feira, setembro 22, 2005

Gettin' high on your own supply!...stay out wardog! (no herbs...no spice!)

Lá na frente do olho da tempestade tem um monóculo, embaçado pela gordura e pelos reflexos da lente defeituosa e mal polida de um hubble flutuante, olhando monofônico as tristezas e angústias dos povos estrelares e salvaguardando os poderosos das tragédias que por séculos se explicarão na versão dos patrocinadores, nunca na dos excluídos, pelo xenofóbico ódio racial expurgado na estupidez do terror de mercado produzido entre lentes , maquiadores e holofotes feito show de domingo a noite...sobre a nossa história, costumes e talvez na crença dos valores e a sua tradução comportamental......por detras do medo camufla-se a esperança q explode em humanidades e tecnologias......varias vezes reafirmada como utópica, de brinquedo e ilusória, feito musica imortal de jhon lennon...imagine? shoot dead!.........lá no olho da tempestade tem um tapa-olho de ciclope que só mostra a metade mais bonita do olhar...clayrvoyants looking through this syncronicity, misappropiating informations in your own benefit....decepcionando-se com as repetidas ignorâncias que trasformam a história e a tradição do bastão zen em semelhantes.......parametros divergentes, por natureza, iguais, na complexidade do impacto.....ou seja um mestre ao perceber que o discipulo está para perder o momento de iluminação, bate-lhe na cabeça com o bastão para que ele não perca a concentração e a transcedencia absoluta em manifestação, opera-se’ntão, o milagre!...mais ou menos como os chefes de estado q mandam atirar bombas nos infieis para q eles vislumbrem a “verdadeira” face do bem....a same evil calling my name! yeah like fire in the sun! what a hell i have?....a anima mundis sente-se ferida, pela estupidez q possibilita a falácia militarista, afinal de contas presumo q o sonho dos generais deva ser; praticar a teoria de estratégia ensinada nas escolas superiores da guerra.....senão me pergunto do q valera-lhes estes conhecimentos senão perseguir refugiados nos campos de concentração nas fronteiras dos paises que tornam a nossa geografia um patchwork artesanal de etinias e confrontos ideológicos.....i feel a infinity sorrow cumin' to my soul......nunca vi os porta-vozes serem transparentes em seus pronuciamentos, 'stão sempre escamoteando a verdade dizendo q esta tudo bem e q os milhares de famintos q vagam pelas ruas são apenas dados estatísticos de desocupados q não querem trabalhar no meio do mar de prosperidade q pagamos com o sacrificio de todos exeptuando-se os poderosos q alimentam seus pets com restos do salmão q regaram as artimanhas e as negociatas nas mansões num lago ao sul do planalto central....'till the end of the days, lá na cidade planejada para atentederem os requesitos da centralização do poder e a ideia de desenvolvimento e imunidade parlamentar pós os anos dourados.....e como qq outra tambem produz os seus lumpens e miseraveis a cada esquina q por lá são desconhecidas......e poluem os rios com esgotos clandestinos q desaguam a bem cagada merda dos poderosos.....alias magnata não caga...defeca e seca a bunda com vapores perfumados de rosas, provocando-lhes arrepios pelo corpo e quando espalham seus ventos mal cheirosos fedem ao vulgar e popular concentrado de boldo q lhes curou a ressaca.....quem é que se propõe a ser investigado pelos congress hall da elite?....renunciam ou criam secretárias extraordinárias para não perderem seus direitos politicos.....espalhadando pelo mundo, lendas criadas para conterem o anseios das massas q se aglomeram na fila do vale cesta básica e do cartão de crédito com limite de 15 reais q o governo apresenta como um avanço social...olha quanta coisa ela pode comprar na xepa da feira!....com este cartão o povo vai poder comer feijoada de calango um dia por mes..say the dummy on a tv set in pronuntiation to all nation.....enquanto bilhões são drenados por debaixo dos panos e eles fingem não saber...fico me perguntando porq permitimos isso, seguindo feito bois a rampa dos matadouros......se me perguntares de novo espantada, somaticamente surpreendida e sensibilizada: - o q é isso?....te responderei: - um presente!; carinhosamente...com certeza vc entende a minha sensivel sinceridade.....as vezes a imagem de se perder de amor me faz sentido, não na angustia mas sim diante do alumbramento q este sentimento propõe, nada heteronormativo algo tão mais dinamico tão mais profundo q em mim amadureçe...me deixa sem palavras emudecido com olhos d´gua agradecendo ao existir...e por aí se vai a barca....navegando se perde pessoa...cc'rider! perdido no deserto ironizando as miragens que insistem se afastarem para horizontes mais distantes aos quais podemos alcançar.....'till i use my last clean shirt.....continuando a crer q o amor não demanda em uma cabeça quente.....quem vive só espera cercar-se de companhia, idealizando o sentimento amoroso corrigido dos erros do passado, e, q certamente repetiremos por pura falta de memória.....e infantilidades q nem sempre conseguimos superar com gritos e ignorancias....atrás de minha alegria se esconde a carencia q me consome e dificulta a expressão do q penso ser o melhor de mim.....dentro das tempestades chovem rações de soja com farinha de osso e bombas teleguiadas por chips de itaniun de última geração.....aviões q arremessam comida sobre campos minados atraindo famintos para o genocidio, disfarçando a demagogia primeiro mundista....a farsa da midia legaliza o terrorismo dos poderosos....mostra ao homem comum o tenebroso desejo de ver-se diante a face da morte.....q por sinal deveriamos tratar com reverencia e respeito, não só pelos q se foram mais com a importancia q ela tem em relação a libertação do espirito das amarras materialistas.....nada contra o materialismo...mais tudo a favor da espiritualidade e das benções de Deus a todos nós. Um ponto ou um paragrafo pode inverter o sentindo feito elipses cinematográficas, mudando o sentindo da espiral q circunspecta as histórias, aprendemos a escrever escrevendo, a história q testemunhamos, dando asas a imaginação reinventando estórias e debochando de nos mesmos....feito o duplo "y" e gargalhadas orgasticas...a clow yeall'ng to this moons after midnight!....e a partir dai a trama vai se desenvolvendo, escrever dias, horas, meses em busca da fonte, em busca do que poderemos construir e afirmar a nos mesmos,e, identidades esquecidas no desenrolar do nosso imaginado roteiro....o discurso se entrecorta nas misteriosas fantasias deste “hit-cock” de plantão....a vagabond rapping to your feels.....it's all over now!......e o dia dia vai se descorrendo a cerca de tu puerta dos fundos feito conversa de quintal, malhando os que fuxicam na sala de visitas...true lies!....negociatas capitalistas.....:).......sem elas o enredo não tem graça.....give me someone to love!....... A história continua tão fantasiosa como a estória o é, impregnada de sonhos e reflexos de incertezas, e de todas estas coisas terriveis q nos levam a odiar este mundo.....humam being!......mais mesmo assim de-me algo para amar....por favor!...será q educado pareço mais doce, menos hostil?......já afirmaram certa feita, que os brutos tb amam!....:)....e o meu ódio aos oportunismos politicos nada me permitiu desenvolver....alias o ódio nunca permite nada a não ser a ignorante negação da vida e o desafeto generalizado..painkiller!...tentando ser criativo vou recortando a realidade e a colando de maneira aleatória entre virgulas e paragrafos mal colocados....why u don´t mind your own business?....we die young....berrando e batendo a cabeça nos muros das vaidades q fazem-nos desfilar pelas esquinas e vadiar pelas ruas no meio da madrugada, enquanto minha cama clama pelo meu corpo e a saudade que carrego em meio a reflexões e orações....q não encontram alento nem mesmo nas entrelinhas dos livros q leio em busca do tempo perdido...um homem em uma caixa, rindo-se de sua merda emocinal, cercado de misérias q não encontram semelhanças nas imagens projetadas pelos espelhos e nos jogos de repetição q nos insere nos crueis circulos viciosos da mente....aqui sózinho repetindos as mesmas frases, reescritas em virgulas diferentes, confundindo a todos com minhas commas mal posicionadas, erroneamente fixadas em intervalos q já não cabem mais na dinamica do texto....feito as lagrimas q secaram em meus olhos cansados de se inconformarem com o marasmo e a vulgaridade televisiva e a banalização cultural que fazem os literatos e eruditos shaking his head, rindo-se destas estupidas escritas sobre desilusões e esperanças, e, q elas não se repitam com a frequencia com que se repetem.....smoke my bones....kick my ass and say goodbye!...good buy!....os dias passam e eu aqui sentado nesta cadeira com cada vez mais raiva....i'm in rage! praying to the end of the world 'n' all bullshit around me turn my english very worst day by day...i don't mind 'bout this excuses that all begs to a gratefull God....that luvs us!.....mais mesmo assim continuo buscando sentindo no q não sei dizer....renato sabe que renata entende o q renato não sabe dizer e por isso renato entende que renata sabe dizer o que renato não entende, sendo assim renato diz a renata sobre o q renata não entende desejando que renata diga o que renato não sabe dizer e, que espera q renata saiba como falar sobre o q renato não sabe e por isso não diz.....só expectativas mais nada do q expectativas contradizando a ideia zen de se viver um dia de cada vez e estar alerta sobre o presente e o sentimento de se perder na alma universal e, em dionisico deleite promiscuir-se à Deus.....qdo as esperanças se calam sempre encontramos alguem para nos amparar e fazer-nos acreditar em algo e, por não sabermos expressar, então chamamos de deus e a ele oferecemos de bandeja todo o livre arbitrio e o direito de estar errado....perdemos ai a oportunidade de um dia afirmar q a humanidade vale a pena....out of control.....com nosso inconsciente curado da culpa q certamente poderia nos salvar, e, serviçal ao que nos fará esquecer por vez a humanidade q berra em nossos corações a ansia de desafiar o proposto e contradizer o contradito....who knows?.....no have a place like home!...e o verde do gramado do vizinho....home sweet home, no mercy, no gratfull....no hapiness.....killing herselfs to live.....i still belive in life'n'life belives in me....e mesmo torturados, emudecidos continuamos acreditando em tudo q nos dizem em nome da lei, pintado de cor de rosa pelas diversas midias manipuladas pelos formadores de opinião!!!!!...pura estupidez como a nossa q questiona o poder para que outros reflitam e nos tirem totalmente a razão mais adiante.....rape me!...e que as pornos gregas satisfaçam a carencia de cada um dos guerreiros q retornam dilacerados pela crueza das guerras....esvaziados das esperanças adolescentes, assasinadas pelos crimes cometidos nos campos de batalha, dilaceradas por granadas, minas, tiros de fuzis e erros de calculo balistico....em nome da liberdade q creio continuará para todo o sempre como massa de manobra dos tiranos e dos idiotas q fotografam bem na midia.....dizendo q a guerra criara o ecumenismo dos povos e certamente manterá arrogancia dos escolhidos como interpretes da vontade de deus, senhores da nossa vontade, mestres da ignorancia mistico-mecanicista... autoconclamados senhores da matrix.....meantime if u suck me with all your heart, like a slag with no pants smilling'n'eating a whit of ice cream in a dessert spoon, by all means u feel my lactobacillus!

Scream a avarage guy betwen a ravers, celebrating the right of party: Shake my paranoia, beat the groove!

segunda-feira, setembro 19, 2005

Kill your television.....


Over'n'over...em móto perpetuo, percebo q a palavra não esconde mais propõe o absurdo das interpretações.......a palavra é elástica, talvez babacamente idealizada e pré suposta...linguas vivas, linguas mortas...linguas entremeadas... linguas desmitificadas......semiótica/semântica mutante...metodos pré supostos....contrapartidos pela realidade.....hiperrealismo dos ócios da arte e das manhas da imaginação....eu crio!......de tanto que cri .... descri...;)....metafísica de espinoza.....método de kant...legalidade de rosseau......amorosa anarquia de la boetti......entre outros....imagino no principio dos tempos o q seria a base do pensamento, será q seria a busca da essência e do sentido, a idéia básica...as águas e o nascimento de ciencias intessantemente propôem as infâncias das com(1,2,3,...)s-ciências (supra citas pelo redundar do método(argh!!!!)).....início da detonação big bang....imagine só a energia do bang inicial...é excitante tentar perceber o centro da tempestade e a expansão q ela gerou...uau!!...de novo!!!......, seria este o sentimento de se preencher da "alma matter"?????...thunder'n'ligthining.......come in from the storm....é o grito primal contido ..... see sister sweetly, that i speak!.....sabe tem dias q eu acho a vida tão suave....ela me parece o toque do veludo em meus dedos......deve ser legal curtir este barato in my daddy's favourite chair.....splintin'g in a global face....assholes!......o q eu acho interessante nesta viagem de escrever ou teclar...são as possibilidades de frases soltas e palavras aleatórias q podemos associar com conceitos a detalhada observação do q em volta atiça os sentidos.....seria o artista o ideal de liberdade????..escravidão babaca confirmada pela pretensão de museus de artes modernas, fucking'n'cumming in the Wharol's face!..vip's!.....somos "só sombra de sombras, com certeza"...esta frase de Cecília Meireles é ótima......tão real quanto as realidades transdesbundantes de Clarisse....go away!.....a palavra é para ser escrita errada e em pronuncia sem q a dúvida interrompa o desdobramento claro do discurso e, q c coloquem virgulas em meio a perdas de conteúdos....abolir virgula pontos em favor a multilaterialidade dos cérebros q povoam a alma humana e a continuidade do fluxo e certamente na inevital certeza da porção alma matter q podemos ser.....what's your favorite color?


Zoiando com os zóios q naum querem vêr!


Olhos noturnos,
silenciosos buscam amanheceres
Através de janelas,
humedecidas pela bruma noturna
e as lágrimas de um sonho
passageiro que fingiu
brincar de realidade!.....

quinta-feira, setembro 15, 2005

UBI SITA EST LATRINA ?....(Fortuna'Imperatrix Mundi)

Nasdaq, variações do dolar, erros dialéticos dos empanzinados clientes dos bancos suiços e as famosas mesas de queijos, vinhos e foundies, não oriundas de bacco, mais dos calcanhares de mercurio e seus serviçais panteístas...faunos...androginos e anfibios, celebrando subserviencias, entregando-se a perdição mortal das culpas matinais,.....celebrando demonios em trevas emocionais, como as canções de enio moriccone para os bangs-bangs spaghetti sobre uglyies, bads'n'goods, sonorizando o dia a dia dos especuladores à cata do dolar furado....feito crows que se acercam da inquisição para duplicarem seus capitais em terras coloniais..desafiando a promessa do arcanjo miguel, de um novo mundo e uma nova vida.....para arderem no inferno por escolha pessoal.....poe que ponha, overleafs of imagination'n'mistery on this......como arthur q se tornou sir apos amealhar fortuna tendo assim seus pecados perdoados pelo tilintar de algumas moedas na pia bastimal, como afirmou Roterdam, subsidiando os q camuflam a pedofilia dos insanos papa-anjos, e, q anteriomente mascaravam a dura lex descrita pelos q pos-suporam moises e a esquisofrenica posição de interpretes of the Lord words.....inexactus pater est......a parição do universo pressupõe-se ao Kaos.....regenerador.......coligante a unilatariedade...feito células tronco callin' her name, disclosin' your prongs.....don't wait.......walls don't talkin'.........às tão sonhadas fantasias de nossas inquietações...disfarçadas por nossa civilidade......curada por remédios morais da sifilidade primitiva e instintiva...e, decair na maior elegânçia....diante das feridas oriundas da lepra moral e da necessidade de painkillers distribuidos nas drogarias 24 hs em meio a tiroteios...feel like a blind between a crossfire!.....dissonantes as bem regidas cordas de nossa harmonia emocional e na transparençia implicita dos odores de nossos Hummores...feito o perfume de flores citricas no meio de uma manhã, na ante-vespera do outono.......say what rest u argentina......tha'i undestandin' what rest to me.......good bless the conqueror'n' kill the european trash, desfazendo dessa maneira a soberania e a arrogancia de sermos o topo das espécies...desfaça-se estas ilusões.....e as da dor nos olhos da pietá a se perguntar: Potes mihi ostendere quomodo suo munere fungi potest?(Dá para me mostrar como funciona?)..........solo l'alma saberá, regina mater....então: Velim nummos meos permutare(Gostaria de trocar dinheiro)....para calar os paus de configuração do slackware...e fazer valer OPEN SOURCE.....antes que ela se transforme no stonehenge primitivo de nossos sonhos...só um local cercado de mistérios e pouco suporte........dev/mount/devicefloopy/não sei mais o q....e os misterios desvendados aos iniciados em unix, bsd's e shells operacionais....wish a new...i will a will....e o que pode comprar a propina aos indigentes.....alguem diz algo sobre this????.....we diz for thiz!....pela miséria que nos cerca e a necessidade de elevar-se contra os que nos forçam a calar feito cordeiros estripados, em favor da qualidade do churrasco, diante dos convidados....e os pães q guarneçerão os guizados de suas tripas, e o prazer de raspa-los no resto de molho q sobrou in backplate.... o qual entregaremos a um vira lata para farejar os requicios do q um dia foi e o que deixou de ser, por agora....who's gonna die for me?..hands up who gonna die?...servidos a francesa nas mesas mais refinadas do estado....escalpelados diante dos convidados q se entreolham, divididos entre a gula pelo sabor fresco da carne e, o pavor pelvico dos festins sanguinarios....Habetis computerii servitium? (Você tem serviços de computação?)....enquanto a noite nos rouba o dia e cala as manhas mal dormidas.....para onde iremos?.......qual a célula mãe nos salvara da morte senão a que nos fará a pilula primodial, quando despertada de seu sono nitrico, pelos geneticistas de plantão nas pharmacias de manipulação....say hosanna for diz....."Hosannah hey, Superstar!"...entendido entre as aspas como string e sem aspas como condicional......or, true o' false in a bollean conversation.....is a just P.R.?.....novamente os deseperados olhos de minha mãe clamam por minha salvação....fazendo com que os tiranos tentem justificar sua justiça.....mesmo q soem como as espadas em mais um sucesso de roliuody feito sorrisos que soeram como provocaçãoes, antes, num passado ainda não tão distante, próximo daqui, ali em nossas percepções......matter certus est.....revela nos a verdade de nossa origem cala-nos das certezas advindas da crença vã...torna-nos impuros para q possamos encontrar o que eh puro nas incertezas sem q tenhamos que derramar nossas lagrimas por estas americas que clamam por nos.....qual é o amanhã.....a quem um surdo insistirá em perguntar.... Potes hoc iterare, quaeso?(Dá para repetir por favor?)...ou....Quis est vigiliae addictus?(Quem é o chefe?)...quem paga com a honra as certezas do disperdicio do conhecimento..qdo monopolizado por poucos em nome do bem da humanidade e em respeito a vida planetária q a cada dia perde qualidade e essência.....quem dará o rabo sem a certeza do prazer?........i've been in a riot..like a sparkle in eyes.....22:05 10/8/2002.....e logo logo sera de novo hoje 17/08/2002 (21:57).....e subsequentemente até q eu enjoe de tentar compor a frase....don´t belive in a word......Govinda, Jaya,Jaya!.....to empanzinado deste mantra....p´rá minha felicidade q um dia poderá se transformar em minha tristeza pelo esquecimento e a minha falta de memória.....então vou aproveitar...Govinda, Jaya,Jaya!...Govinda, Jaya, Jaya!........Govinda, Jaya, Jaya!......repitir até o extase ou ate qdo a vibração interna tornar desnecessária esta compulsiva repetição.....ou, o preço do gol deixar de ser uma verdadeira mamata....ajuizar-me e voltar a acreditar na palavra, transfigurado pelo prazer de recriá-las em frases nunca d'antes compostas.....desbravando a linguagem e os erros de concordancia.....virus in a artwork.....transgressor como o Senhor quando espalmou as mãos para um bang infernal....permitindo toda e qualquer posibilidade de vida between us.....e generosamente entregando-as ao próprio destino.....inventando desta maneira o prazer de tomar chá.....o celular e a total falta de comunicação entre hardware e peopleware......matrix é só o inicio e o q vem depois não é a parte dois.....nem perdidos no espaço, star treek ou guerra nas estrelas.....apenas o que se esconde no óbvio....que foi, quando caetano cantou a um indio o que teria sido.....feito frases sussuradas num confessionário suburbano em meio a uma praça aonde uma kombi vende x-tudo a R$2,00 sem direito a guaraná natural......qué refresco? mais R$ 0,50.....hari bô.....nothing in my head....who we need......when we play this little red joystick..........nothing i presume!

A word of solitude: relent what?..lay in your lies now, take no souvenirs!

quarta-feira, setembro 14, 2005

Charles Baudelaire


La Mala Suerte

Para levantar una carga tan pesada,
Sísifo, haría falta tu coraje.
Por más que ponga el corazón en el trabajo,
el Arte es largo y el Tiempo demasiado corto.
Huyendo de sepulcros celebrados,
hacia el más aislado cementerio,
mi corazón, como un tambor velado,
va resonando marchas fúnebres.

Más de un diamante duerme sepultado
en las tinieblas y el olvido,
lejos de picos y de sondas;
más de una flor exhala a su pesar
su perfume, dulce cual un secreto,
en las soledades más profundas.

domingo, setembro 11, 2005

El Greco.....no end inside. (Feel the gravity pull’s)


...tava mexendo nuns livros velhos , talvez residuo de um antigo amor, ou reminiscencia de parda adolescencia...cans of brahms...luz de el greco!!!.....coisas assim meio yes / fragile!...interessante como podemos misturar periodos diferentes na nossa comparação pos-histórica...moderninho!....fazer malcomX, dialogar com a Scully, sobre Millenium e suas aplicações na neo-imperialista sociedade das Superfícies....it's underground baby!!!!...outro zapping fetichista pós futurista....buscar novas formas de expressão...ou ficar mecanico diante do rolo compressor de infomações. Até esquecermos do brincar e errar....coisas infantis q atiçam as curiosidades, tão naturais ao humano q em nós adormece!....ser criança é ter o direito de estar errado......parecer tolo!...e sem pecerber colocar em Xeque toda a estrutura e questionar o terror futurista meta idealizado "eurotrashista!!!!!"..homem branco e cultura pós ancestral...não somos 100% negros e nem 83% brancos...somos 100% cafusos...entranhados nas entranhas indiginas...marajoara...macunaíma...artimanhas da natureza e de indias tesudas.....no caldeirão multi racial deste novo "novo mundo"....deleites de deuses q venceram as marés, monstros marinhos e deslumbraram a corte revelando as exquizitisses bizzarras desta cultura primitiva de penas, pedras preciosas e de fruit of passion....i luv women...imagino uma india bronze na corte branca....elas sempre estão presentes suavisando a história...diria-me talvez totalmente desgraçado se me omitisse a parafrasear palavras de bolivar ou tentar combina-las com o mi olvidar...rimaria mais talvez soaria mal aos ouvidos dos maristas....não c acerta sempre....de sala em sala sempre tem quem nos ensina......a canção ecoa pela sala....e a luz da imagem pintada por el greco me observa em sua pose maneirista.....como sentir o sentir se não reconheço o q sinto???como reconhecer o q me é estranho?..será q preciso de uma promessa para me entregar e diluir da minha natureza para a resposta que ela ansia?....olvidar de novo???...os encantamentos me deixam preplexo...pronto para a desilusão e o empobrecimento emocional.....el greco sorri para mim em meio a melodias de tonalidades pop-medievais, num canto gregoriano de arcodes eletronicos de mellotrons, vocalizes.....e badalares de sinos espantando os fantasmas....da minha alma...oh! god have bless !!!..i will try to be careful..next time ok????.....dançam as divas num embalo orgiastico celebrando as facilidades e a banalização da compreenção de suas necessidades.....o homem alvo midia delta -, de huxley travestido na linguagem peopleware skatista neo criminal terceiro milenista.....fibra ótica....velocidade de comunicação..vc aqui eu ali a tres segundos....me rio a pensar que as novas drogas serão eletronicas...poderiam se chamar......gringa polenteira ou talvez sem livro...que tal????....só rindo deste povo!!!!!..tem um sem livro aí??? bro!...gentes boas!...só q na defensiva.....porq me defender se me percebo....das minhas maledicencias e das maledicencias do outro???...ora tb sou maledicente!......pois é, a vida segue entre cantos de felicidade em bocas maledicentes!, me diria o zé doido do tivesse a mão!!!....tocando rock num kavaquinho em um porão de suburbio...ironizando kerouack num pronunciar latino cucaracho!...gracias a la vida!

quinta-feira, setembro 08, 2005

Notas para uma Declaração dos direitos (e deveres) dos narradores

Prêambulo

O que é um narrador e quais são os seus deveres e direitos? É narrador (ou narradora) quem conta histórias e reelabora mitos, conjuntos de referências simbólicas partilhadas - ou de alguma forma conhecidas e, quando for caso disso, questionadas, por uma comunidade. Contar histórias é uma actividade fundamental para qualquer comunidade. Todos contamos histórias, sem histórias não estaríamos conscientes do nosso passado nem das nossas relações com o próximo. Não existiria qualidade de vida. Mas o narrador faz do contar histórias a sua actividade fundamental, a sua “especialização”; é como a diferença entre o passatempo do bricolage e o trabalho de carpinteiro. O narrador desempenha - ou deveria desempenhar - uma função social comparável à do griot nas aldeias africanas, do bardo na cultura celta, do aedo no mundo clássico grego. Contar histórias é um trabalho peculiar que pode trazer vantagens para quem o desenvolve, mas contudo é sempre um trabalho, tão integrado na vida da comunidade quanto o de apagar incêndios, cultivar os campos, assistir os incapacitados, etc.. Por outras palavras, o narrador não é um artista, mas um artesão da narração.

Deveres

O narrador tem o dever, de não se considerar superior aos seus semelhantes. É ilegítima qualquer concessão à imagem idealística e romântica do narrador como criatura pressupostamente mais “sensível”, em contacto com dimensões do ser mais elevadas, também quando escreve sobre absolutas banalidades quotidianas.

No fundo também os aspectos mais ridículos e espalhafatosos do ofício de escrever baseiam-se numa versão degradada do mito do artista, que se torna uma “estrela” pelo facto de o considerarem de alguma forma superior aos “comuns mortais”, menos mesquinho, mais interessante e sincero e, num certo sentido, heróico já que suporta os “tormentos” da criação.

Pelo facto do estereótipo do artista “angustiado” e “atormentado” suscitar mais sensacionalismo e possuir mais peso do que a fadiga de quem limpa as fossas biológicas, podemos compreender o quão distorcida está a actual escala de valores.

O narrador tem o dever de não confundir a efabulação, sua principal missão, com um excesso de autobiografismo obsessivo e ostentação narcísica.

A renúncia a estas atitudes permite salvar a autenticidade dos momentos, permite que o narrador tenha uma vida para viver sem que seja uma personagem por interpretar sob coacção.

Direitos

O narrador que cumpre o dever de refutar os estereótipos supracitados tem o direito de ser deixado em paz por quem, ao invés, enche os bolsos propagandeando-os (cronistas de costumes, paparazzi culturais, etc.).

Qualquer estratégia de defesa contra as intromissões deve basear-se na não sujeição à lógica.

Em suma, quem se quer passar por “estrela”, quem posa para estúpidas sessões fotográficas ou quem responde a perguntas sobre todos os assuntos, não tem o direito de se queixar dessas mesmas intromissões.


O narrador tem o direito de não aparecer nos media. Se um canalizador não aparece ninguém lhe pede explicações ou o acusa de snobismo.

O narrador tem o direito de não se tornar numa besta amestrada das soirées ou da coscuvilhice literária.

O narrador tem o direito de não responder a perguntas que não considera pertinentes (sobre a sua vida privada, preferências sexuais, gostos culinários, hábitos quotidianos, etc.).

O narrador tem o direito de não se fingir versado em todos os assuntos.

O narrador tem o direito de se opôr, através da desobediência civil, contra as pretensões de quem o tente privar dos seus direitos (incluindo os editores).

Wu Ming, Verão de 2000

quarta-feira, setembro 07, 2005

Ilhas...


Ilhas se cercam de oceanos, ondas, bancos de corais, estrela dos mares e tubarões.
Pessoas se cercam de umbigos, gemidos, silêncios e tempestades. Palavras naufragas, ficam sufocadas em meio a incertezas, e desprovidas da sensível dança, que as acalmariam das gotas de uma chuva já passageira.

Estilos e eloqüências desafiam a vã ciência, a inútil procura formaliza o desencontro, quando descobrimos que o louco quando ri é são, perdemos o sentido da normalidade e nos promiscuímos de vez no aleatório de nossas ligações neurônicas.

Pessoas se cercam em ilhas, a inercia toma conta afastando dos oceanos a ação....trazendo palavras soltas ao vento.....Perdidos em meios as ilhas, naus aventureiras afundam escondendo tesouros aos olhos do homem comum, que desesperado procura, a razão que o salve do naufrágio em meio a todas estas frágeis sensibilidades, talvez embrutecidas pelos medos das tormentas iluminadas por raios e trovões;
atenuadas por melodias singelas de um certo “Amadeus”.

Ilhas podem ser oásis no meio do deserto disfarçadas na miragem de um sedento viajante, que por perder o camelo, caminha agora guiado por um sobre-humano artificio de sobrevivência, que não o permite se entregar.

Muitas ilhas reunidas, traduzem arquipélagos que se interagem, ensandecidos pela camaradagem e seguros de que não estão mais sozinhos, voam para muito além do que supomos como imaginação.

Ilhas são só ilhas e nada mais.

segunda-feira, setembro 05, 2005

Não em nome de um.....+ em nome de todos!!!! (OMNI SUNT COMMUNIA!)


Vazio no texto, cheio de cansaço, com vontade de voltar para casa e esquecer tudo que consegui aprender ...ver se esqueço as diferenças que me forçam a achar as igualdades na imagem que o outro faz de mim....e se ele não estiver por aqui?....o q vou ser senão o arremedo critico de minha inchada auto estima q eu não quero mais ver.....enquanto estranhas mensagens me são enviadas pelo firewall q insiste me salvar da miséria provocada pelos servers de troia e as paginas de pornografia q escondem os roteadores...carnivore....i think it's over...i say a lot about a little more fact...o honey!!!.....quero falar um pouco mais sobre o q esqueci quando prometi reiniciar tudo diferente de novo....e quando estava de novo refletindo tudo o que era antes destes recomeços q arranharam minha pele feito topada de bebado em calçada de pedras portuguesas...´till u drive my car.....penetrando fundo pelo quintal do vizinho detonando os portais da moralidade propostos por imorais defensores da familia, e das crenças que clamam pelo perdão das virgens santas.....q sacrificaram-se em vão feito o amor deixado alem de minhas expectativas, numa estação de trem...train in vain...don´t worry about we think ´bout us....whisper your sexuality to the wind e espere a resposta advinda d´onde não se pode imaginar feito palavras ao leu feito loucura de satisfazer a nescessidade de sacudir os dedos pelo teclado ensebado pelo uso constante por mãos engorduradas pelos bolinhos de aipim adormecidos no forno.....biscoitos finos atraindo moscas nas vitrines das padarias suburbanas q vendem salgados a $1,20 com um copo de guaraná natural.....ou outro refresco com muito açucar pouco recomendado a diabéticos e aos carentes de serotoninas...q navegam por desejos ansiosos por serem devorados por crianças ansiosas por balas e hamburgueres....there´s no free lunch in amerika.....parece que os olhos se cercam de imagens para q o metabolismo as indentifiquem como o q pode ser mais nem sempre é a mesma interpretação q nos chega, e o vermelho q enxergo não tenho certeza de ser igual ao q vc v.....red identity....red alert..running in red....individualização é a negação das interrelações que criam a linguagem da arte e o q aprendemos como história, o mito como modelo q normatiza e impede que as subjetividades aconteçam, as multiplas personalidades disfarçadas por uma que carrega a identidade que permite o crontrole e a ação coercitiva do estado, por ter nome, sobrenome, numero de identidade e código genético mapeado.....andando sobre o solo sagrado de nossas senhas que destravam os logins de nossa virtualidade desejada anonima e digital...mother goose has comin' to this hall.....screamin' for fever, sentindo a historia se decompor na fé em um só homem, negando todo o resto q constrói de maneira ilinear o dia a dia de nosso futuro....when all looser's gambles use her sense....the alligators getting up.....impregnados de energia solar a aquecer-lhes a frieza do sangue...tiranizados pela falta de nonsense destas realidades q os puristas retiram de galileu e a sua desatualizada heresia, contraponto de realidades imutaveis, mutantes até que a normatividade lhes dessem a identidade cientifica e a politica dos iluministas, releitura de fonéticas q jamais mudam paralizando a nossa história no limbo de nossas imutaveis crenças.....sing a song to u!!!!...whispering a candle ligth, say good nitgh for no one.....farsas divertidas fazendo a ciencia se reinventar no coletivo, desmascarando os q manipulam a informação feito um sanduba achatado por uma torradeira de misto quente cauterizada pelo uso e o verniz de manteiga.....will be soon.....ao inimaginavel mundo das invenções que se recusam a calar o imaginário, e a afirmar o q temos como axioma principal de nosso kaos......multidões contidas em uma identidade q não se percebe em sua amplitude, calados pelos poderosos q normatizaram as babilonias roubando-nos a multiplicidade cultural.....seres ocultos em um ser lutando contra si mesmo e, contra o q supõe-se esquizofrenico....um nome....não mais do q um....caotico como a afluencia de normas q regulamentam o caos, e a imaginação que o contradiz reafirmando-o feito incertas certezas d quem supõe-se controlar pela identidade o nome do um.....desperdiçando em nome da animalidade o pensamento e a rebelião, q ao contradizer o contradito torna-se livre como o direito a celebrar q nos é negado junto ao de estar errado.....i´m with u!!!!!......vitima do tempo aonde a história não consegue mais esconder a sua farsa estórica, e, a manipulação do binomio humanidade x dinheiro, pelas politicas q todos sentimos manipulando o q supomos entender (our mind!)......em beneficio de poucos e, o desfavorecimento de muitos, destruir não é propriamente acabar com tudo, mas, derrubar-se tudo pela certeza de q não há mais nada a controlar e só o paleolítico de nosso futuro a revelar-se de novo aonde os nossos antepassados nos entregaram a posse da história e a certeza do futuro, travestido como as impossibilidades do presente e a nossa dificuldade de compreender o q se transforma ao afirmarmos a banalidade da história como diretriz do conhecimento e politica mainstream....já vai longe a possibilidade d q não haveria futuro, e o apocalipse já se tornou as possibilidades q cremos crer como nova era dos sonhos dos futuristas que acreditavam mudar o imutavel do mundo em que vivemos com aventuras espaciais e lisergias intelectuais, nunca nos negaram os paraisos, nunca nos afirmaram reis ou impérios e nem prometeram-nos o reino q adviria para remissão de todos os pecados...tudo uma farsa a calarmo-nos a certeza de nossa humanidade e a posse de nossas vidas e de nossos territórios, temporários com as alegrias das insurreições q permearam nossa cultura prometendo-nos novos tempos mais sempre repetindo-se nos brumários, e o psicionamentos das oposições e da situação nas tribunas franco-revolucionárias (já faz tempo, q assistimos a história se repetindo como farsa)......longe de compreender e saber como se sucede, podemos questionar e responder a nós mesmo, pois querendo ou não nada nos impedira de tomarmos posse de nossas vidas e fazermos nossas escolhas conforme nossas necessidades coletivas....quem calará a voz de todos na boca do um?????.......então todos ouvirão em unissomo a própria voz.....execrando os adoradores da morte em beneficio dos amantes da vida e dos orgasmos....insurrectos, unindo o único ao outro, para q possamos definitivamente exercer todas as posibilidades de nossa natureza....smile we will be erased!

domingo, setembro 04, 2005

sexta-feira, setembro 02, 2005

Tropicália...(SpeakWorm Mix)....song'till remains!

Caetano Veloso
Tropicália

Sobre a cabeça os aviões
Sob os meus pés, os caminhões
Aponta contra os chapadões, meu nariz

Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento
No planalto central do país

Viva a bossa, sa, sa
Viva a palhoça, ça, ça, ça, ça

O monumento é de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde atrás da verde mata
O luar do sertão
O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga,
Estreita e torta
E no joelho uma criança sorridente,
Feia e morta,
Estende a mão

Viva a mata, ta, ta
Viva a mulata, ta, ta, ta, ta

No pátio interno há uma piscina
Com água azul de Amaralina
Coqueiro, brisa e fala nordestina
E faróis
Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira entre os girassóis

Viva Maria, ia, ia
Viva a Bahia, ia, ia, ia, ia

No pulso esquerdo o bang-bang
Em suas veias corre muito pouco sangue
Mas seu coração
Balança a um samba de tamborim
Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhoras e senhores
Ele pões os olhos grandes sobre mim

Viva Iracema, ma, ma
Viva Ipanema, ma, ma, ma, ma

Domingo é o fino-da-bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém, o monumento
É bem moderno
Não disse nada do modelo
Do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem
Que tudo mais vá pro inferno, meu bem

Viva a banda, da, da

CHARLIE DON´T SURF....!!!!



Se o mundo tem monstros, maus pensamentos tomam conta, esvaziam a natureza e levantam as bestas adormecidas...se o impossivel cria as possibilidades para o possivel, quero todas as dificuldades...acho q vou sair de fininho pela esquerda virando as costas para a direita e desprezando os centros....pretend me dead!!!!....que nem as águas q vão secando transformando os mares em lodaçais nas encostas de 200 milhas, tomadas pela posseção maritima dos decretos leis de um planalto central sem mares e pororocas...peixes, crustraceos, lulas e baleias servidas em restaurantes de frutos dos mares...o telefone toca é o cara da delivery da esquina confirmando meu pedido...sushi e raiz forte de novo assim eu não aguento....foi nas esquinas daquele buraco negro q o genoma atravessou a dobra espacial e encontrou as condições favoraveis na agua, limpa e cristalina, agua novinha do começo do mundo, liquido este q só os dinossauros sentiram o sabor e daonde os pré socráticos presuporam a vida, sem entender aquele gosto diferente e enjoativo nas aguas das cidades q proliferavam aos pés de alexandre e q hoje fazem os nórdicos irem buscar pedaços de icebergs para engarrafarem o q já não conseguem sem embalar....aguas polutas, e o mundo nomade atras de fontes para reidratarem seus corpos secos...prove u wrong!...decantação ja não resolve, e o liquido primordial preocupa a todos, nada de varrer as calçadas com mangueiras, nada de banhos de tanque, verão no couro até ressecar a pele, banho só em dia de chuva ácida...brincadeira de mad max e crianças atras de herois incestuosos.....a arte q deve falar das chamines e do proletariado é igual a que deve vender produtos e ilusões...inexpressiva...tendenciosa...q não traduz nenhum tipo de emoção ou espiritualidade....não tem questionamento, só tendencias friamente explanadas atras de contratos e artimanhas.....menino desce desta arvore vc vai se sujar e depois não vai poder tomar banho.....black world....black planet....a radiação toma conta, a mir ameaça a cair sobre as nossas cabeças....e todos aqui desejosos de paz....grana e sexo explicito...in god we trust!!!!....e de nossas bocas as palavras escapam em sortilégios que nem as merdas q escorregam dos cus nos cavalos dos generais q perfilam os intelectuais, para fuzila-los com medalhas pelo seu pieguismo ou de balas por sua rebeldia...escolha o seu premio....puxe tres sacos de tres politicos e arrume um emprego ou então faça-os pensar e ganhe uma mordaça novinha...in cars u rust!!!.....q nos ferrros velhos viram peças de reposição vendidas como pedaços de carne de sol em frigoriferos, penduradas e expostas ao sol e as moscas....fazendo fortunas e incentivando o ganho facil....easy money.....megalopoles inchadas, e por isso mesmo denominadas de metropoles, a miséria vai invadindo os praisos emergentes criando as descriminações e endossando a truculencia policial e aquele monstro do passado enfia a cabeça no seu nariz para vasculhar o q foi preservado para qdo chegarem as tormentas emocionais, se instaurão pelos dogmas das religiões e vão minando a vontade de amanhã deixando-nos estaticos em angustias, acachapados de calores, sedes e adistringencias emocionais.....ufa! ainda bem q temos calotas polares....seremos invadidos por aguas q sequer poderemos beber......picture of future!!!!....nações mortas, colapso da economia e a ideia do salva-se quem puder, invade meus pesamentos me assustando e fazendo com q sacuda a cabeça e esqueça esta bullshit toda para gritar a plenos pulmões...let the sunshine in!!!!!!....e com a alma lavada pelo grito primal saia por ai otimista acreditando q isto é só um sonho paranoico, tramado por palavras nas bocas de meus outros eus...q querem fazer com q eu deixe de acreditar e desista de tomar um refrescante banho!!!!!...no meio desta tarde de domingo de sol....e charlies putos pois não puderam ir a praia surfar, porque a lingua negra afastou as sereias das encostas..... sometimes, love kills!!!!

quinta-feira, setembro 01, 2005

Manifesto Internacional Situacionista


Publicado na Internacional Situacionista 4, (1960).

Uma nova força humana, que o status existente não poderá reprimir, cresce a cada dia com o irresistível desenvolvimento técnico e com a insatisfação de sua utilização possível em nossa vida social privada de sentido.

A alienação e a opressão na sociedade não podem ser mantidas em nenhuma de suas variantes, mas sim, apenas rejeitadas em bloco com essa mesma sociedade. Todo progresso verdadeiro fica evidentemente suspenso até que a multiforme crise atual encontre uma solução revolucionária.

Quais seriam as perspectivas de organização da vida numa sociedade que, de maneira autêntica, "reorganizasse" a produção sobre a base de uma associação livre e igualitária de produtores? A automatização da produção e a socialização dos bens vitais reduzirão cada vez mais o trabalho como necessidade exterior e proporcionarão, finalmente, plena liberdade ao indivíduo. Desse modo, liberto de toda responsabilidade econômica, de todas as suas dívidas e culpas com relação ao passado e ao seu próximo, o homem terá à sua disposição uma nova mais-valia incalculável em dinheiro, pois essa mais-valia não pode ser reduzida à medida do trabalho assalariado: o valor do jogo, da vida livremente construída. O exercício dessa criação lúdica é a garantia da liberdade de cada um e de todos no âmbito da única igualdade garantida com a não-exploração do homem pelo homem. A libertação do jogo é a sua autonomia criativa, que supera a velha divisão entre o trabalho imposto e o ócio passivo.

A Igreja queimou, em outras épocas, supostos bruxos para reprimir as tendências lúdicas primitivas conservadas nas festas populares. Na sociedade dominante de hoje, que produz em massa desconsolados pseudo-jogos de não-participação, uma atividade artística verdadeira é forçosamente classificada no campo da criminalidade. É semiclandestina. Aparece sob a forma de escândalo.

O que é isso, na verdade, a não ser a situação? Trata-se da realização de um jogo superior, mais exatamente, da provocação para jogar esse jogo que constitui a presença humana. Os jogadores revolucionários de todos os países podem unir-se à I.S. a fim de começar a sair da pré-história da vida cotidiana.

A partir de agora, propomos uma organização autônoma dos produtores da nova cultura, independente das organizações políticas e sindicais existentes no presente momento, pois nós negamos a capacidade de se organizar outra coisa a não ser o acondicionamento do existente.

O objetivo mais urgente que estabelecemos para para uma primeira campanha pública dessa organização quando ela sair de sua fase experimental inicial é a tomada da U.N.E.S.C.O. A burocratização unificada, em escala mundial, da arte e de toda a cultura é um fenômeno novo, que expressa o profundo parentesco entre os sistemas sociais coexistentes no mundo, que se baseiam na conservação eclética e na reprodução do passado. A resposta dos artistas revolucionários a essas novas condições deve ser um novo tipo de ação. Como a existência mesma dessa concentração direcionada da cultura, localizada num único edifício, favorece a sua confiscação por meio de um putsch; e como a instituição carece completamente de possibilidades de um uso que tenha sentido fora de nossa perspectiva subversiva, sentimo-nos justificados, diante dos nossos contemporâneos, para nos apoderarmos de um tal aparato. E o faremos. Estamos decididos a nos apoderar da U.N.E.S.C.O., ainda que seja por pouco tempo, já que estamos seguros de nela realizar, rapidamente, uma obra que permanecerá como a mais significativa, pelo fato de esclarecer um longo período de reivindicações.

Quais deverão ser principais características da nova cultura, principalmente em comparação com a arte antiga?

Contra o espetáculo, a cultura situacionista realizada introduz a participação total.

Contra a arte conservada, é uma organização do momento vivido diretamente.

Contra a arte fragmentária, será uma prática global que conterá, de uma só vez, todos os elementos utilizados. Tenderá naturalmente para uma produção coletiva e, sem dúvida, anônima (na medida em que, ao não armazenar as obras como mercadorias, dita cultura não estará dominada pela necessidade de deixar marcas). Suas experiências se propõem, no mínimo, a realizar uma revolução do comportamento e um urbanismo unitário dinâmico, susceptível de se estender para todo o planeta; e de se propagar, em seguida, para todos os planetas habitáveis.

Contra a arte unilateral, a cultura situacionista será uma arte do diálogo, da interação. Os artistas - como toda a cultura visível - chegaram a estar completamente separados da sociedade, assim como estão separados entre si pela concorrência. Porém, inclusive antes que o capitalismo ingressasse nesse pântano, a arte era essencialmente unilateral, sem resposta. Essa era encerrada em seu primitivismo será superada graças a uma comunicação completa.

Até que todo o mundo chegue a ser artista num plano superior, isto é, inseparavelmente produtor-consumidor de uma criação cultural total, assistiremos à dissolução rápida do critério linear de novidade. Quando todo o mundo for situacionista, por assim dizer, assistiremos a uma inflação multidimensional de tendências, de experiências, de "escolas" radicalmente diferentes, e isso não mais sucessivamente, mas sim, simultaneamente.

Inauguramos agora o que será, historicamente, o último dos ofícios. O papel de situacionista, de leigo-profissional, de anti-especialista, é, no entanto, uma especialização até o momento de abundância econômica e mental em que todo o mundo chegará a ser "artista", num sentido que os artistas não alcançaram: a construção de sua própria vida.

Aos que não nos comprenderam bem... dizemo-lhes com um irredutível desprezo: os situacionistas, de quem vocês acreditam ser juízes, os julgarão mais cedo ou mais tarde. Nós os esperamos na mudança de sentido que é a inevitável liquidação do mundo da escassez em todas as suas formas. São esses os nossos objetivos, e serão os futuros objetivos da humanidade.

17 de maio de 1960