sexta-feira, agosto 05, 2011

Memo



Escolha umas palavras, de sentido à frase, finja que ta dito o passado que se nega a passar, repetindo um engano que a esperança não cura e o otimismo começa a duvidar do porque... tenha sempre à mão a fé, e a firme crença que tudo pode ser melhor do que é pela simples incidencias de louvaveis méritos.
Outro cara me diaria algo que poderia ser diferente do que sempre compreendi como exato no meio de tantas tendencias e o sectarismo cultural que recicla cada ideia num incansavel axioma lavouseriano, nunca desdito sempre repetido com outros parametros...janelas caóticas abertas a quem quiser olhar....quando o sistema cai, congestiona a civilização.
quando acaba a energia todos saem dos seus cubiculos beje para futricar o que assucede, a lingua vai desmistificando a cena numa compreenção inadimissível, cenas de outro teatro ao qual não temos ingresso....falta luz tudo apaga por 10 minutos o nobreak apita, escandaloso a fome de energia, então amanhã nasce o sol fica claro e o sistema continua se movendo com fome de energia...nós, nós do planeta, fazem dias que nada me ocorre e outras frases ficam assim jogadas ao relento como eu e a minha low self opinion.....nem sempre é facil escolher suas soluções, imaginar é facil mas não corresponde a nenhuma expectativa alheia, no maximo empaticas nunca tão visceral como em nós.....outro dia tava tentando escrever mas sofri de gagueira não sai das primeiras silabas e as fiquei repetindo incensantemente na trava linguofaringeodental....pelo mundo vou da nascente a foz, de barquinho ou a pé pelas margens. já não me dou mais ao esforço mas, me esforço a cada dia, minuto a minuto...no almoço arroz com cenoura, ervilhas, milho e pimentão, carne de panela e batata palha, para que haveria de querer mais? senão crer que vc merece o que deseja.
a civilização é tão grande que perdeu o controle só nos resta o controle estatal....não sei se contino por prolixeria ou por teimosia, gostou é o meu batom......e mamãe reclama....gosto disso desse cenario surreal e coisa do real na interferência histórica. na falta de opção vou fazendo isso que gosto breakdance no teclado e, na ponta da caneta com gravidade interna.....no sentido da dicção diria que perdi a fala.