terça-feira, agosto 31, 2010

Pois é!

Filhos... creio;
compreendem nossas histórias,
dispensam geneticidades
ou, comentários.

...na calada!
até se riem de nós,
por/ou, tolice!
Versando inacabadas
fantasias!...

imaginadas de outros,
estórias para contar depois
ou, só por um minuto,
estar orfão até de sí!

Não ter nada mais, 
...mas, à dizer. 
e, requerer:
- Who's next!?

Na descarada!


Teclado III


CapsLock down,
escreva em minúsculas,
dúvidas maiúsculas.

Page up!
Insert, ArrowRigth,
saia à francesa.

Win+PauseBreak
revelarar-se-á
o sistema, a memória
e, o processador.

nada de novo
depois da vigézima
prestação a não ser,
a nescessidade de upgrades.

Mas vai, assim,
ScrollLock, PrintScreen,
capture a tela, imagine a cena...
NunLock!...

P'g Up!- se, daquí!
não espere o Del
de uma hora para outra.
Enter to End...

sábado, agosto 28, 2010

This, Jihad! ....A métrica e a geometria.



a magia me pareçe agora,
não tão excepicional
diante da vã ciência
e daí; nós com isso?
meros serviçais...

letra por letra,
palavra!
palavra por palavra.
Frase!

o resto é,
redundância...
vaidade redacional.

então!, se façam,
Os versos!

cinco, quatro e três,
acabou o verso!?
dois...outra vez!?!
Um!?

olha de novo,
outra pessoa.
como nós, outros.
e, como imaginamos sê-lo-os.
...depois de apodrecer;

Dar aos vermes,
O motivo da celebraçâo.

We are another people!

domingo, agosto 22, 2010

Mais uma das Vãs Ciencias Jogadas ao Léu, (lêdo engano mix!)



princípio básico:
delíro mântrico
e, pedra filosofal,
dissolvem do real
o ireal.

No Vibes!

Nada é de fato sólido
em tudo existe
um campo vibratório
energia que dá p'ra sentir,
ou, rir-se disso.

ilusão esquizo-paranóide. 
a vã ciência;
explica seus Kaos;
constroi sua ordem.

se ordenando,
aprende seus erros
o homem não supõe, brincar de Deus!
O Homem evolui do próprio medo
reinventando a acomodação ,
para saber:
  - que ainda tem medo...daí,

moto perpétuo!
Reinvento,
tudo de novo!

quarta-feira, agosto 18, 2010

Menino



Um menino,
tem fome de sexo,
drogas e, expectativas
que não consegue construir.

mais um que...

olha ao "Que".
E não pode desejar...
mesmo assim, não
reclama da dor.

Exaspera-se!
no delírio famélico.
Entre a autofagia e a falta,
das sapiências embrionárias.

Um menino que não,
tem tempo para orar,
só o delitivo da fome
à realizar.

Fome de Mãe?
Fome de que,
Menino?

sexta-feira, agosto 13, 2010

Love, Sex'n'Death!


I
A dor é, Aguda!
II
a existência é,
querida, como a fé
que ora,
na hora, agora,
ora bolas!

segunda-feira, agosto 09, 2010

Now I'm a Beliver!...

Aquilo que
acreditava
que era,
já era!

O que Crí
Descrí!