sábado, outubro 29, 2005

We're the egg man......(Quarteto mix)

Here today, gone tomorrow!

Não espere de mim
Hojes ou Amanhãs
Só presentes como os que trago
Quando beijo tua boca e te deixo tocar o meu corpo,
Desperto de sonhos que se negam acordar;
Para se intoxicarem de cafeína e analgésicos.
Negando vida as cores que adormecem quando acordo.

II

Chulé....
(Essa é p’ra Frank Zappa..eu adoro esse Kara!)

Ela me disse; não, não e não!
Eu disse a ela: sim, sim e sim!
E ficou tudo feito um boogie woogie di merda
Sem refrão ou riff q valha a pena...

Stinkfoot honey!

Before i forget:
- u eat my stockings?
- Or put your titties in my beer?

III

We’re the Ocean size!

‘stou no paraíso
‘stou no sofá....

IV

Idiots rule!

sábado, outubro 22, 2005

Todas As Cores Escrevem Vermelho (Scratches in a Android Skin)



As luas daquele planeta de dois sóis, giravam em revoluções desincrônicas, parecendo que se chocariam a qualquer momento, tanto que ninguem mais se impressionava com as constantes eclipses q ofuscavam os sóis varias vezes ao dia, ninguem mais olhava para o céu e muito menos protegiam-se com lentes especiais que supostamente protegeriam as retinas de serem queimadas pela itensidade das luzes solares, pouco importava se as luas obscureciam os sóis, todos sabiam q a comida era trânsgenico-sintetica a muito tempo e q androides eram vendidos no miseravel mercado cinza sem nota e sem garantia, ja não se falava de pele, nascia-se tatoado de todas as cores, algumas castas cobriam-se de monstros outras de flores e algumas de imagens q habitavam os inconscientes dos pais q escolhiam os desenhos nas peles dos conceptos antes do nascimento......alimentados por complexos vitaminicos criados pelas formulas da extensa tabela periodica de elementos sintezados e os novos metais trazidos de outros planetas, descobertos na idade de ouro da exploração espacial, muitos que nasceram por aqui esperavam um dia retornarem ao planeta dos colonizadores, aonde dizem ser a grama verde e as mulheres bonitas, feito a musica de um velho cd que fora esquecido na jukebox de uma das naves que colonizaram este planeta de sóis que giravam em revoluções contrárias as das nossas crenças, famintos com apetite para a destruição, como maremotos que passam levando tudo.....tisumanis q não são "tissumanis" so arquetipos de lendas antigas sobre tragédias q jamais foram esquecidas.....arido, quase sem ar, deserticamente ferruginoso......ainda; colorido.....como estrelas primitivas q não perderam o brilho.....exilio de alienigenas, geneticamente convulsionados.....peles misturadas nos engarrafamentos q cruzavam rodovias, e, atravessam cidades cruzando por viadutos q se sobrepunhem acima de nossas cabeças num engarrafamento sem fim, higways q nos levavam a lugares nenhuns, trazendo de volta os fantasmas q haviamos deixado escondidos nos armários, não havia mais discussão, nada mais o q descobrir, tornando inutil todo o conhecimento de séculos, tudo estava misturado segmentado por tribos q se faziam inúmeras, infinitas ideologias mixenadas pelas infoways q eram oferecidas por um punhado de dólares, embora não houvesse mais moeda, pois já não existiam mais comodities que garantissem seu lastro......continuavamos a produzir de maneira caótica o dia a dia destas existencias, não podiamos parar de gerar o bem comum q a todos supriria....numa politica idealizada para suprir nossas necessidades sem um mercado regulador......tudo era produzido por distritos q trocavam entre si as necessidades, quem produzia comida supria os q produziam componentes eletronicos, tecidos, entretenimento,etc...criando uma enorme rede q se abastecia por si própria, todos trabalhavam em seus distros, que se autogeriam como "casas idependentes" dentro de uma taba....e no centro um grande forum aonde todos discutiam as necessidades e as gerencias dos distros....a maneira de se orgarnizar depois de séculos de desorganização politica e guerras com os clones, andróides e alienigenas!...

As guerras etnicas causaram grande atraso e trouxeram muita destruição, outrora, a terra aflorava de frutos alimentando a todos, generosa se enchia de fartura, um manacial de manás, a agua limpida aflorava de fontes impregnada de minerais, curativa, como prismas fracionando o expectro luminoso explodiam-se em arco-iris.....foi o q encontram qdo chegaram os pioneiros, por causa de uma pane, tiveram que aterrizar nestas planices...trouxeram tecnologia avançada e expandiram-se rapidamente pelo planeta, criaram clones que administravam a logistica e androides a mecano-executiva, expalharam uma ampla rede de comunicação e monitoração planetária, viveram a época aurea da nosssa história, de grande desenvolvimento cientifico monitorado pelos colonizadores, q subjugaram as espécies nativas e criaram uma nação de grande desenvolvimento, um império de ciencia, de grande desenvoltura economica e intensa atividade política.....com cidades q mais pareciam um cordão de diamante de vida noturna incomum aos outros planetas deste sistema solar de muitos sóis e muitas luas....caminhavamos durante algumas horas do dia com duas sombras atormentados por diferentes interesses, as castas tinham reinvidicações diferentes e em prol da produção, os colonizdores revelaram o método de clonagem aos cloners, e estes desenvolveram droids bio-mecano-eletrônicos aperfeicoando as castas serviçais...ao limite do questionamento...ai instaurou-se historicamente, nossa babilônia......devorada por anjos totálitários e massivos totens q se ergiam à atmosfera, desencorajando o movimento de estranhos pelas regiões totemicas.

Em meio a esta confusão, a intolêrancia politica definia interesses inconsiliaveis, nossos campos e cidades tornaram-se tintos; conquistadores, droids, clones e mercenários alienigenas.....numa parafernálica quimera, a devorar-se sem solução. Uma pandemia gerada pela ignorancia de q o orgulho definia as relações de poder entre as castas determinando previlégios aos escolhidos, deveres aos submetidos, servidão aos subjugados....um véu ideológico impedia-nos de ver as cores q tingiam as atrocidades do nosso exterminio, pois se observássemos a nossa volta por um instante, descobriríamos que todas as nossas cores escreviam o vermelho........

sábado, outubro 15, 2005

UM NOVO DOCUMENTO DE TEXTO



...........Earin' a japonese, speaking for me that he understand's on the sea and the tides, saying to me: - please stay away, eat another sushi....like.....um novo (a) documento de texto pouco, importa se normativo, pansexualista, substrato cultural viciado em filme de sacanagem e horario eleitoral, são todos iguais sempre o mesmo enredo, pau na bunda e sacanagens ao sabor do marketeiro de plantão....feito empresas de telecomunicações que aproximam as pessoas por um custo menor que as empresas aéreas e as de onibus (inter ou intra) estadual.....feito maisena no chá fazendo um creme que nem ingleses apreciariam mesmo q detentores da pior culinária do mundo....soaked of kidney with potatoes and porridge of tea in a dessert plate.....convidando all for we ao q não sabemos o q é.....parecido com for all......no extraordinario caldeirão multi etnico formador de cultura e devaneios esquizo-paranoicos q excitam a memória e logo caem no esquecimento pós-guerra, feito moda revisitando o passado relembrando as nostalgias da mente retrô dos estilistas, tudo em nome do dinheiro....da facil leitura em vigencia desde os primordios da Bahaus, certamente pré suposta pela revolução industrial e du champs...man ray...bella lugosy is dead e a helvética ja caiu em desuso dando lugar para a futura e a courier new....onLoad "('parent',makeaerror.htm')"...404.....in this jump station u can find a home lendo o código interpretando feito chip a condicional, traduzindo strings, playng chinese drums maded in twain.....burning inside askin' how u don't build me for speed.....like a bikes, ou, como rats in a cellar.....palavriado desaquecido dissonante sem inspiração....sem contexto misturado disincronico nos transformando diante da segmentação cultural q criárar-nos o temor aos que entendem tudo, negando-nos o direito de celebrar a diferença q nos urge sentir e apreciar...lie ain't sleep...hearts in chains...crying at door....clamando por um pouco de duvida e dor...por um motivo para voltar, desiludir e encontrar de novo o fio da meada que nos livrará desta moira.....luv needs changes...who wants the dirty job that have been done?....enquanto olho o mundo com estes óculos mágicos amerikanos chamados the amazing x-rays eyes, e, vejo a hora no meu relógio atomico, e, tenho consciencia de classe feito os alemães, e, me perco por crer que sou inominavel, erro, e, então faço de meus enganos a raiz de minha compreenção......in the desert u can't remenber your name.....u only need rain!.......voltando aos mares..its gonna make boring....redundante feito moto perpétuo e alquimia...black crownes....erasmo....spinoza...la boetti e hakim bey......como outros, fundamentais.....fashion like zaratrusta....o eterno retorno, taoísta, e, a interpretação de quem carrega a certeza da loucura, como norma criativa....certificado pela diversão e rebeldia.....xcesso de compreenção......,"comma",....só mais um playin' the game......another lazy in paradaise.....night visions...aventura on a highway...just wanna carry'n....like a daylight need a fall.....'n we praying to a winter day...i pretend gray......me diriam os inpregnados de boa vontade......i belive in a day......when a pretend to pray, searchin' for a any way....i don't mind .....i got lose the mind.....searchin for i don't know why.....just try loose this skin....over'n'over, like a commas in a text..dubiamente duvidosas como as verocidades supostas pela escrita.....feito a merda desta lingua agil definindo o que entendo.....i was xtracted by a forceps...your rapping tounge nothing been done...cut my foreskin......when i change a mind.......sozinho repetindo meu nome pelas esquinas da vida.......sem eco ou outra boca que repita meu nome...agarrando me a fina linha que me separa da consciencia....indo em mim aonde ninguem irá.....ready for love!!!!..i can change your mind.....fazendo te descrer pelo tanto o quanto voce creu,,,,,,,('comma'),,,,,.......de novo ate a exaustão......feito a colheita do arroz e uma amizade quack.....dialética de pato donald e mi queimou zé,,,,,,"comma", de novo,,,,overlocked....perseguido pelas virgulas e outros sinais de linguagem.....and now a onomatophéia...slassshhhhinu!...fala negona diz p'reu a amazing grace, again!.... i wAnna job....i wanna pray...i shure stay!.....i shure go!..here today, gonne tomorow....repetir me e temer não poder de novo, temer...perder a arte, não ser quem sou,,,,,virar escravo e repertir virgulas ad eternum......esquecer withyman e drumond.....identificar-se um baudelaire...ser só pronuncia....desafiando o bel escrever......only a clash......in your holiday......linguagem de plágios sem consistencia criativ'a end of story....prometo não escrever + neste arquivo.... i can't get enought...a lingua é viceral, dinamica em movimento e raciocino, veloz como a certeza de q a qualquer momento a porta se abrira, e devemos estar em constante alerta, afim de não perder o momento...então, ele passa e nos as vezes não conseguimos vê-los...maybe.... the spirit that u feel...is a echo of past......a angel's wish. say marley 'n a song: free yourself to the mental slavery..................!

segunda-feira, outubro 10, 2005

LENDAS DO CELESTE IMPÉRIO - CHIANG SING



Tua voz conduziu o
destino aos meus olhos.
Reclinei em teu peito
meu cansaço de séculos
e sonhastes em meu nada,
o mistério que tenho.
Tua voz conduziu o
destino aos meus olhos.
Amparada a tua sombra
amadurece a minha vida.
E hoje um sol de auroras
me ilumina e uma fita de
passáros adorna o meu verso
e uma doce paz brota do meu
cérebro porque tuas mãos
-úmidas de mistérios-
apagaram o milenário sulco
de um tormento, diluindo o
passado, em memória de fumo.
Tua voz conduziu o
destino aos meus olhos!


Poema - Chiang Sing

segunda-feira, outubro 03, 2005

ELOGIO AO ENCANTAMENTO!

Se tivesse paraísos em minha mente,
Não me impressionaria.
Pois teria certeza de deus;
- Me salvaria.
Como sou só pessoa, e, comum...
Dou craças a vida
Pelo deslumbramento!