segunda-feira, janeiro 30, 2006

Manifesto Nômade



Liberte-se do átomo. Não tenho muita certeza quanto ao Negroponte, mas uma ele deu dentro: entre o átomo e o bit, fique com o bit. Trabalhe com a mente, não com a mão, e que o fruto do seu trabalho seja digital.

Liberte-se da corporação. ''Patrão'' e ''empregado'' são palavras que não têm mais sentido, assim como ''senhor'' e ''escravo''. Trate as corporações de igual pra igual, com cuidado! - pois são feras poderosas. Dê a elas uma dose do seu próprio veneno: a oferta e a procura. Cobre sem dó.

Liberte-se do tempo e do espaço. Pra que acordar de manhã e bocejar em uníssono com o resto da cidade? Pra que enfrentar congestionamentos só para se deslocar até um cubículo odioso cuja única função é te colocar sob a vigilância de bedéis e babás? Faça o seu trabalho fluir através dos fios.

Trabalhe nu.

Arranje ferramentas para o seu cérebro. Outro paradigma: esqueça caixotes estacionários, pense em portáteis baratos e versáteis enfiados numa mochila.

Se tiverem a aparência de uma bolha colorida e translúcida, melhor. Se a velha-guarda der risada, deixe. Lembre-se que caixotinhos bege combinam com isórias bege, carpetes cinza, luzes fluorescentes e almoço das 12:00 às 12:30. Você pode escolher: é por isso que dreadlocks serão o símbolo de status do futuro.

Por enquanto você ainda vai estar preso: a fios de telefone e ethernet; à área de cobertura do seu celular. Mas fique esperto: daqui a vinte minutos o céu vai se coalhar de satélites e você vai poder sair correndo pra praia.

Arme-se! Os monolitos do poder não verão com bons olhos esses bandos de freaks correndo por aí, vivendo de produção intelectual pura, cagando pras regras do passado industrial. Fique ligado em criptografia, em redes de contatos e nos caminhos da economia.

A época é de transformação. Caos e oportunidade. É a nova fronteira - laptops estão para os anos 00 assim como os clássicos Colts de 6 tiros estão para o Velho Oeste.


Sampler:
Manifesto Nômade Tom-B
Fonte Rizoma

Air Guitar:
Tecnicolor - Mutantes


quinta-feira, janeiro 26, 2006

Obscuro Conhecimento Da Ciência!

"(...) As descrições dos poetas podem servir para ilustrar o saber, mas elas não podem ficar no lugar dele. Isto seria esquecer a parte de disfarce necessária à arte e seu objetivo de seduzir, de proporcionar ao público certos efeitos de afeto. Quer dizer que a arte se submete ao princípio do prazer, enquanto a ciência se esforça para renunciar a ele:

"Até o presente, deixamos ao escritor a tarefa de nos descrever às condições necessárias para amar que governam as escolhas de objeto das pessoas e a maneira pela qual elas põem as exigências de suas imaginações em harmonia com a realidade. O escritor pode de fato dispor de certas qualidades que o tornam apto a cumprir tal dever: acima de tudo, uma sensibilidade que o torna capaz de perceber as pulsões ocultas nos espíritos das outras pessoas e a coragem de deixar falar seu próprio inconsciente. Mas há uma circunstância que diminui o valor evidente daquilo que tem a dizer. Os escritores estão sob a necessidade de produzir um prazer intelectual e estético, assim como certos efeitos emocionais, e é por isso que não podem reproduzir a matéria da realidade sem modificá-la, devendo isolar suas partes, afastar as associações perturbadoras, suavizar o conjunto e preencher o que falta. Mais ainda, eles só podem mostrar um ligeiro interesse pela origem e pelo desenvolvimento dos estados mentais que retratam sob suas formas acabadas. Em conseqüência, torna-se inevitável que a ciência deva se ocupar dos mesmos materiais, cujo tratamento pelo artista deu alegria à humanidade durante milhares de anos, embora seu toque seja mais desajeitado e o ganho em prazer menor. Estas observações, espera-se, servirão para nos justificarmos por estender um tratamento estritamente científico ao campo do amor humano. A ciência é, afinal de contas, a renúncia mais completa ao princípio do prazer de que nossa atividade psíquica é capaz"."


Sampler:
Sarah Kofman
A Infância da Arte

Air Guitar:
Hunger Strike
Temple Of The Dog

domingo, janeiro 22, 2006

Solilóquio Latino Colonialista...a hard monkey in your e-box!

Imagem recebida por e-mail
A compaixão me toma quando olho nos olhos das ovelhas a certeza do matadouro....mais mesmo assim percebo, que elas servem ao pastor como se ele fosse a saida que tanto anseiam contra a inevitabilidade da lâmina do carrasco..."fools!"...assim são as pessoas quando pensam no poder que possuem....mais o que é o poder senão uma droga que se deve negar?.....para que se possa libertar e curar a dor e o sofrimento que a dependência desta abstração, cria em nossas entranhas....abrir mão do que podemos ser e deixar-se conquistar pelo benefício de um heroi de espada flemejante que demole os monstros dos nossos temores, certamente nos afastando da natureza que nos compõe...nossos sentimentos se transformam.....a gosmenta lixivia cósmica nos envolve alterando os sentimentos, que nem máquina desaterrada dando choque prá tudo quanto é lado....."its hard to get in holder"......é como se o olho não firmasse-se mais ao horizonte e a mão exprimentasse um estranho sentimento corporal de repulsa a energia....bzzzzzzzzzzzz....."have u been in a eletric ladyland".....sons de eletro-saltos que estalam na acústica do choque entre a agressividade do passo e a solidez do solo que fecha o terra..."arriba!"......leques e fetiches medievais....de negra e escarlate fantasia..."cria cuervos y los irros de perro!".....chora latino américa pelo futuro que se desvendará para a tua geração, pelos grilhões que se sobrepõem a nossa cultura, com "yeahs!" e guitarras distorcidas..."drive trought to the other side"....fala tupy em inglês e pensa em português....unifica a língua num exquisito "esperanto", que fale qualquer palavra na boca dos "indios, cafusos e mulatos que dirão adeus ao ver-nos passar.....marimbondo vai si'mbora que aqui é a casa dos caiporas".

Sampler
Vou Danado P´ra Catende
Alceu Valença - Molhado de Suor

Air Guitar
Ongoing and Total
The Almighty - Just Add Life

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Blackbirds on Fubá!


I Wanna be sedated, feito white punks running for a dope, adestrados pela ruína do sistema e a banalização que nos certificam......esquecer de vez a poética e partir para a apelação generalizada, desrespeitar todas estas regras que regem a normalidade, coagindo-nos à opressão...me livrar desta onda de poder popular e perceber de uma vez que não há futuro, apenas esperanças ansiando por frustrações...tudo continuará o mesmo como é, crendo e tentando adaptar-se ao estado junk, das coisas que o cerca.....we beginin' a century.... stay tune for misery...beggin for mercy......dilacerado pelo sucesso impositor à inveja...percebendo que não há nada aqui para nós....não há um plano...será que o que fazemos servirá a história?...acho q tenho que arquitetar um novo plano to wangle a spacebus......'n'see....a brigth blue ligth....surrenderin' my feels.....acho q vou vomitar.....above only skies.....e tons azinabrados do efeito estufa, e, buracos de ozônio a nos causar cancêres pela pele....i'm not a beliver, just a dreamer.....'till thinkin'; no'ne is everyone.....let me shine'n.....moon, stars, e, nos cabarés suburbanos feito as estrelas ascendentes, oriundas de outras esferas, tired to trip in a speed of light, e, em movimento; decadente nas trajetórias dos controladores de vôo e observadores de plantão....incendiar-se nas atmosferas...running like a fireball....silenciada pelo calor das paixões e a incomoda lembrança de um conjugar no futuro do presente, agora participe de um passado que se esvai criado pela ilusão de ótica que a física um dia explicará...feito memória de elefante lembrando que o poder pertence ao povo e só a ele deve ser delegado.......lembra daquelas festas com cuba-libre, mother e credence clear water revival,...daddy come home!.......i became to lose control......viva cuba!....'n high on fever.....exclamar, a eagle peck my eye!.....live me alone....i, on the run.....o pensamento de jhon é uma aventura deliciosa feito seixas repetido por paulo na academia.....always, on the run.....tudo interligado interando-se a associação pessoal que cria as interpretações...roubando-me o sentido inicial da criação que anseio crer; criar......desvendando verdades multifacetadas reveladoras de conhecimentos por sua elasticidade.....desmitificadora por gerar interpretações e conduzir a reflexeções que revelarão as mentiras e as perversões inconfessáveis de um sistema que criou a nossa história e se mantem por séculos, sugando-nos e favorecendo os senhores que escrevem as tábulas sagradas...relativas a uns, absolutas a outros que descrêem do interesse da verdade, pois se beneficiam das contradições, corrompendo-as tornando-as ambiguas conforme as necessidades e os interesses que construirão as bases do poder despo-mercantilista que substanciam a história.....a milions roundabout of a candle ligth.......fuck all us.....dammed on a higway.....no water to wash a body...no time to be sad.....wait to "lynch-law"....exposto sem direito a defesa...malcheiroso de suor....mad about u....sereno quanto a miséria que assola os coraçôes, a emocional certamente é a pior das misérias.....caminhando com minhas próprias pernas carente de muletas e bengalas brancas.....de cama ardendo em febre em um antro de perdição num beco escuro de um bairro da leopoldina......aqui estamos infelizes sorrindo com a boca cheia de buracos e gengivas contagiadas pela piorréia, tentando salvar os últimos molares de serem cuspidos pelas janelas dos onibus depois de dias agoniado pela moleza dos dentes, imaginando-os pendurados pelos nervos, com pavor da dor e da infecção que corroi o sangue, aventando a possibilidade da febre reumática sondando o coração e as artérias entupidas e as ocasionais dores no peito, estas sombras de um medo tão incerto quanto as certezas que os fundamentam....na publicidade o tempo que corre macio oferecendo qualidade de vida e o encurtamento de distâncias, homebanking que se propõem a servir aos poderosos e seus lacaios, estes por sua vez, rezam constantemente a Madre Dulcissíma; desprezando seus exemplos de amor e fé...só...ansiosos pela face milagrosa...que cura ao seu ver milagosamente a ignorância, mas saiba: a misericordia dos ganânciosos traduze-se nos valores agregados em seus bolsos, e, as rebeldes, sob a sola de seus sapatos italianos de feitio duvidoso, e mais de uma década de zeloso uso deste legitimo couro da américa latina o quintal do mundo....sempre de marca.....madrecita's heart blues e as vozes q orientam a vida dos românticos num poema celestial e sensível como os que não fazemos mais......pois já não podemos nos dar ao luxo de apreciar o terrível sabor da mente e da estética......e muito menos conviver com o pecado, o bom irmão dos homens....a desvendar novos caminhos e questionamentos à ciência..esta sim vã aos olhos dos visonários, dos misticos e dos que dela se favorecem, pela tecnologia e o conhecimento dos incautos, estes inocentes úteis, serviçais da imaginação, alucinados pelo futuro; homologar-lhes o discernimento......feito os loucos que são louvados na india e no tibet como iluminados pela graça.....Deus é louco!......totalmente dissincrônico com o bel entendimento totalmente alienado aos beu-gest que fizeram de hollywood a terra dos óscares, terra de um cidadão chamado Kane e quase todas as mentiras que supomos saber dele, das elipses e da metria a 24 quadros por segundo.....agora reduzidos a 12 para economizar espaço em disco e facilitar a transferência das streamin' de dados a 56k, quando não a 28,8k......formalizando o poder das repetidoras espalhadas pelo mundo que é virtual e binário......embutindo o código que os traduzirá ao que reconhecemos como realidade.....interagindo com os ensurdecimentos que impõem-se aos sentimentos.....modern man!...bended on her knees....poor in sickness......full of a redbull...shit! i get wings'n'a backdoor.....in a empty pocket....hence, full of foolish.....higher in a heleed shoes.....low in sparkle!.....that'buznz's....when i assert, reach stars in the sky.....what in your prayers?.....'n u say bye bye in 'nother road....e os passos apressados conduzem corpos descrentes do futuro a uma festa alucinada: a dead man's party, antes da meia noite o "ice" tá liberado......we don't need pay the taxes....o entreternimento rola solto e depois da meia noite fica mais caro (mais que o dobro), pra compensar a gratitude da primeira hora.....nunca vi ninguem dar algo de graça....nada contra,...contra sim as propagandas que oferem dvds grátis, 3 por um, vida eterna na mansão que fica na rua de tráz da casa de deus......like zeus, stompin'foot in a solemn garden......ou eu fritando um ovo de ressaca.....prometendo nunca mais comê-los a poucheé, não da para colocar no pão, escorre e faz uma meleca descraçada no chão.....ah! tem que colocar o pão nele a miúdos pedaços......cortados a mão, divididos de suas fatias e mergulhado na casca...detalhe: durante a degustação deve-se quebrar a casca do ovo, o minimo possível, senão vem melecagem desgramenta no chão de novo....pois é, sem o apoio adequado fica impossível....é claro que perua bota ovo...se não botasse como nasceria, não é mamífero?...bobagens....e bom divagar passear pelas ideias percebê-las conscistentes, vazias, quase que sem sentido criando um contexto dentro do imaginário, e, la nave va.....somos uma teia de idéias, conceitos, desejos etc...molestados com a nossa sombra, confirmando que há vida debaixo do sol....Água no deserto....desertos nos mares, plâncton....e pavores noturnos,......pequenos assustados com a imprevisibilidade do diem que se carpem.....e lá vamos nos rua afora feellin' it when we pray, saltando por sobre alligator's that getting up under ours nooses.....hoje a noite eu sonhei que usava lentes de contato, vi que quando chorava elas se tornavam tão incomodas como óculos análogos debaixo de chuva torrencial....não servem para nada!!!!!.....bad boyz don't wanna know't motherfucker!........play loud.....pois é, me ocorreu, lavousier e sua máxima, a falta de horizontes naturais, luzes explosivas de um impressionismo invulgar ou de um expressionismo anti fauvista, para denegrir de vez os rosas pálidos das composições; e das projeções amorosas......criar o deleite pela descoberta da vida e deixar-se levar pela imaginação, que antes de proibir o proibido permitir-se o permicível, escancarando portas para o inimaginável que o proibido tenta proibir, permitir-se proibir.......o redundante comprova a idéia de que a situação traveste-se em realidade, feito moleque soltando pipa, dá linha, agora puxa, vai mas tá predistinado a voltar quando a reação voltar a vanguarda das afetividades....negando o conquistado pela ansiedade das conquistas.....que você espera d'eu?.......serra elétricas amputando bracos e pernas em algum cantão de lingua esquecida, remanescente de ancestrais caladas pelo amadorístico anseio de otmização da máquina, não tem que estar só otimizada, tem q ser azeitada.....redonda...unlazy.....2 peoples playing in a playground....when we fell the pain to lose time belevin' n something to satisfain' us....painkillers...black soldiers fighting to the white rigths....marchando na última fila da gloriosa marcha revolucionária dos 31 de março.....runin'away in subwaytrain....feel the heart beating like a teen spirit playn'aprilfool's...send trojans to our mails acounts....e as lágrimas derramadas pelas viúvas de kolbain.....e a vitória de lary flint sobre a liberdade de expressão pressuposta pela conciencia w.a.s.p...we got a new fashion...like me a madman laugthing in the rain....feel the love burning in brain.....u never be back....em nome do orgulho enterraremos king, x, just for keeping us up!......prendam abu jah mahal e os panteras negra, para sempre em uma penitenciaria particular e contratem peritos para encobrirem os seus rastros em nossa história e suas conquistas para a consciência coletiva e a maneira certa de não se derramar em ansiedades diante da cerimonia do chá....q tal um cha-cha?...free angela davis 'n the irish luck, infelizmente vivemos dias de conformidade e deslumbramento tecnológico....what is your favorite IP?..........tecnologia binária e as incertezas sobre o que virá......nova geometria, nova matematica e contradições numéricas mais profundas, convalescentes de erros de swap e falta de espaço em disco......so u think u can tell.......com a boca que exclama as vergonhas da opressão? ou com quem te jura amor eterno incerto das longevidades das promessas, com quem você ainda pensa que fala?........a medicine man? ou alguém que você possa extrair mais valia, desvalorizando a informação que lhe advém de graça.....mais saiba amigo não ha trabalho sem valor, não ha esperânça sem desalento.....não existe o inatingível horizonte sem um ponto de partida...sem as verdades que encontramos no lamaçal de nossas vidas, enquanto nos vemos como lirios perguntando-nos aonde iremos parar.....para onde iremos e daonde viemos...what kind a hell....in a new years day my hopes will be high....e os desalentos se farão vizíveis até o proximo ano dia apos dia feito a palavra em minha boca e o inconformismo vencer minha fé.....já não esta sózinho...o homem se rebelará sempre que se posicionar diante da impossibilidade de ser o que supõe ser......my eyes see u walking down by the seaside.....my fells serão como nada em sua interpretação carente de me saber como sou.....sendo assim serei apenas projeções difíceis de serem reais....um junkie atravessando as ruas sem sentimento apenas dependente de remédios...um quimiopata desajustado sem saber como se colocar em uma estrutura aonde hipócritas escondem o que são iludindo os incautos que buscam justiçar suas deformidades inconfessáveis...a perfect stranger.....knocking on your back door......living in a eletric shadow.....smiling from your face....and now we burning living a high life against burocracy...is trill of change....feel me in your backdoor....serei eu o desêspero que te cala no meio da madrugada fazendo com que você lembre das orações que te foram ensinadas durante a infância...sinta-me chegando invadindo sua porta batendo na porta de serviços fazendo com que você se sinta confuso em como me servir....a hell with no name a litle whit of nothing....quando eu volto para casa percebo que nada mudou, apesar de tudo o que você tentou me dizer ou mostrar...a solidão continua aqui a me quebrar fibra por fibra, minha coragem contínuo certo de que não a ninguém a me esperar enquanto volto para casa, nem deus, nem ninguém que valha-me a intenção de voltar....its nobody home!!!!!......só um velho corpo pré cancerígeno e o silencio dilacerante que me faz sentir alienígena ao meio...todo mundo quer que eu trabalhe de graça....todos querem sugar um pouco e dizer obrigado e pedir desculpas por me incomodarem....i'm lost in a main street.....but u don't complete me....você só sabe andar pelas transversais que te favorecem o oportunismo, que te traduz na mais plena imagem do que pretende ser....você se lembra do meu nome????.....ou só vai me exculachar porque estou de roupa suja sem tempo de lava-la...você lava pra mim?....or your face will be shy.....to love me....shadows of another day ...and i will stay remain a perfect stranger....mama i'm so happy, cruzando pelas desaventuras do dia a dia, marginal sem encontrar respeito, vou atravessando as avenidas que entrecortam a cidade celebrando minha inabilidade de dar laços nos sapatos....yes i have one!....o que você supõe e o que imagino nada tão diferente do que você pretende, de mim.....os olhos tristes da cultura sempre falam de opressão e das vãs esperânças de um dia deixarmos de sermos miseráveis e opressos pelo jogo politico do faz de conta e puxa saquismo.....i'm a stranger to your fucking head....e a morena de óculos escuros e cabelos selvagens passa suando e diminuindo o passo para q eu me encante com a sua beleza, esculpida em cima de saltos altos e o que imagino na cadência de suas coxas....nobody fault for me....minhas expectativas se realizarão porq vou continuar batalhando por elas sem arredar um milímetro do que sonhei realizar, sou persistente e paciente.....just a litle stone in your shoes....ride in a limousine for i don't know why.....beijando sua boca da maneira que sempre sonhei...escrevendo, não gostando do que escrevo, mais em frente relatando o diário de minhas vivências e o colorido de meus sonhos.....sem saber acabar o texto e por semanas enxertando frases numa mixigenação igual a qual fomos expostos pela graça de Deus e dos conquistadores...dizimado em crença, inocente feito criança de berço encantada com Voltaire e o estado das coisas que levam o mundo a ser o que é.....o contraste entre a inocência e a maledicência, de tão encroados na história tornaram-se arquéticos, transformam-se em morais atualizadas pela cultura e a lei; extensos em pervesões e benevolência (esta sim importante e fundamental), a benevolencia é singular...mean time, pervetion is plural....a voice of god is government....todos seguem angustiados pelo questionamento e a impotância de reação diante das perdas que a opinião poderá criar...meu novo carro, minha coleção filipina de calçados e minhas roupas no armário a me dizer yes..the nu age crew!!!!......staying alive, apesar de travolta renegar isso....a man in a glass cage...uma alma perdida rogando a Deus por orientação....dammed to be free.....cedo ou tarde transformado em escravo pelos interesses e a opressão econômica...todos querem alguma coisa e eu tambem quero!.....litle wings, litlte lambs and crazys marys e as promessas de amor que fantasio todo dia esperando que o inesperado aconteça acabando de vez com estes sonhos tão frustantes...tão blue como o missipi manchado pelo sangue de angel's heart...coração satânico esperando livrar-se da culpa de não ter crido....the luv is worst than blues.....c'mon shake ma thing!....leve-me por ai, através da luz abrindo caminho no estranho negror que necessita de luz para se refazer das maledicências ocultas em cada um dos coraçães que assistem-nos passar.....brancos negros e mulatos...cafusos culturais, almagamados pelo caldo das nações que nos oprimiram e fizeram-nos esquecer nossa identidade e cultura..a classic children saying prayers to the wind....debruçadas sobre corpos dos conquistados que não se renderam a deuses diferentes aos quais criam.....linhas de uma canção que não se escreve mais, mas sabe-se de ouvido pela tradição oral dos antepassados.....a dust in the wind.....jurassic beasts walking on a street....biohazard.....11...american jesus...new prayers to catch hold of guns, yelling to revange in god's name...killing all.....vagando pelo vazio fazendo a cultura que cultua a miseria e a opressão como combustível.....haverá outra maneira de expressão, além da que assistimos nos museus, grafites, centros culturais e templos de louvor e liberação de desenganos....i touch u in my dream...cada suspiro era a realização de todos que ansiavam pela luz e se predispunham a entregar-se a luz Divina q iluminava nossas descrenças e mesquinharias que nos evergonhavam diante de tanta intensidade luminosa.....that is just a dream...aqui estou perdido, procurando pela palavra e pelo impressionante sonho de josé.....a old raincoat never be u down.....that's is just a dream...timbuk3, no meio do deserto ouvindo robert johnson e madaleine bell...wishing u well.....a cultura rock e a contestação artificial mainstrean dizendo q sally can't dance no more.....e que ninguém virá para o frescoball hoje, nem mesmo os cães para defecarem na areia, it's raining and the ocean surge...get ready, that i here come.....pronto para ser cuspido feito um dente na crista da onda da cultura ocidental....here comes trouble.....oh... now that he come......like my mother saying that i say...like my dady justifing your divorce.....troubles in the morning...troubles in every day....e eu com a certeza de que não vou afundar neste navio......who will stop the rain?...

it asked one of the crows: its followers are blind?!!!
Air Guitar:
Everybody Knows That You Are Insane
Queens Of The Stone Age - Lullabies To Paralyze

terça-feira, janeiro 10, 2006

Tema para um amanhecer quase imaginário.

Podemos sentir a manhã orvalhada a nos trazer do sonho, ver o dia clarear montanhas, avenidas e despertar, onibus, trens, botequins, bancas de jornais, prédios, vilas e padarias, pessoas ainda quase sonâmbulas, elevando-se, atravessando ruas e pedindo médias com pão e manteiga, atônitas com as noticias dos crimes da cidade, atrocidades classificadas como venda de carros e imóveis....cadaver esquecido na esquina enrolado para presente em fita crepe...orações ao sol e apartamentos com torneiras folheadas a ouro.

Atrasados no ponto de onibus muitos perdem suas caronas, e no trem dormem ao som dos tatás dos trilhos....como crianças pequeninas, alheias à mão que balança o berço....olhos úmidos limpam-se das remelas emocionais reveladas pelo sonhador; inconsciente...de dia denovo, a luz permeia as escuridões internas e parte para atividade correndo atrás de um onibus cheio de expectativas, competições e noites mal dormidas em desilusão ou folias amorosas....decepções mastigadas durante o dia em salas sem janelas, ambientadas pelo congelar do ar condicionado e o teclado, comunicação quase que corriqueira aos usuarios de janelas....que admiram-se com aquarios redondos que enlouquecem peixinhos japoneses, vermelhos e dourados...enquanto os ventos do sudoeste acariciam corpos que recolhem roupas e esfregam camisas, calças apagando as manchas do detergente e a sujeira não filtrada das maquinas cansadas e engatilhas pela pobreza à se automatizar.....pão com manteiga na chapa e o discurso sobre o colesterol e o entupimento das artérias....mais um dia pensado, como menos um dia, perdido em sua glória, cheio de erros de grafia, falta de virgulas e acentos...ledo engano.

Sol atrás de nuvens num horizonte escondido por prédios, elevadores, camas e alcovas temporárias, berço de meninos e meninas, presas faceis aos lezares da paixão....don't hate us...feel that morning...o cheiro das ruas e o amanhecer asfáltico, suburbano, impregnado de falsas maresias...e do molho que ainda não borbulhou, indicando o que irá preencher a marmita, com o que fará a energia do dia...quando nos sentar-mos no refeitório, para nossas restaurações... saboreando sobremesas padronizadas com muito açúcar e refrescos super gelados com sabor de drops de lima/limão....todos em um, um em todos, igualados pelo gosto que carece de tempero...apertando parafusos imaginários neste mundo moderno....esquecendo a cor da manhã que se perde pela tarde de calor desértico.

Air guitar:
And Love Said No - HIM

Despertadores sem pilhas,
óbviamente não funcinarão!!

sábado, janeiro 07, 2006

I'm not a beliver, I'm just a dreamer!

Atmosferas oniricas geralmente lembram lugares enevoados povoados por todos os tipos de surrealismos, a relação com o sonho geralmente nos foge da consciencia escondendo o que somos quando não estamos censurados pelo lay-out de nossa consciencia, cores tão reais como as que conhecemos tornam-se fugidias e almagamam-se a outras cores criando a reinvenção de tudo que conhecemos e somos. Enquanto estamos alheios a vigilia.....os olhos movem-se rápidos a pele desfaz-se dos liquidos pelos quais rolamos nos lencois suados, dores são esquecidas e a mente viaja pelas fantasias que acalentam-nos, corvos penduram-se em arvores aonde jazem corpos oriundos de um pesadelo que clama por esquecimento.....pequenos olhos grandes contemplam horizontes azuis e buscam fontes cristalinas aonde saciar esta cobiça por água, o esquecimento se recorda de suas lembranças e ergue das ruínas cacos de si recompondo-se, dizendo ainda ser possivel voltar a esvaecer-se....alguns sonhos nos iluminam e trazem mensagens de um tempo em que ainda se acreditava na palavra do outro, outros, premonições e alucinaçãoes do que há porvir...transpondo de uma lingua para outra, o que somos, de maneira tão simbólica que as vezes sequer entendemos, a noite menina, o corpo buscando descanço e a consciencia do inconsciente vai criando universos que as vezes não nos dispomos a conheçe-los em tempo real...a noite impregnada de mistérios, de coisas sombrias e rumores silenciosos sussurados no pé do ouvido, palavras cadenciadas como pedras atiradas ao léu que traçam a trajetoria de seus próprios desvios, indo para muito distante de seus objetivos...corpos em apinéia e desespero despertam tentando se levantarem de sua paralisia sonanbula...pessoas idolatrando as fantasias em versos realistas, por vezes falando em uma linguagem estranha que nem mesmo eles entenderiam, simulando uma linguagem de grunhidos e roncos.....não só de deseperos mais tb realizações do que foi oprimido pela civilidade adquirida do suporte à necessidade de sobrevivencia, um mundo aonde o desnudo apresenta-se selvagem sem fronteiras, limitado apenas pelo despertar...magia atravessando as palpebras cerradas que não se abrem a não ser pelo retorno da conciencia sedenta por café para espantar a ternura invisivel, que por vezes é assustadora como a mão que afaga e castiga....olhos que não vem os campos d'alma e a real necessidade opressa de nossa natureza....lugares aonde não calamos a escravidão imposta por nossos interesses, aonde somos tudo o que pretendemos ser, simbolismos de nossas neuroses, travestidos em guardas de transito, portas e labirintos....dragões explodindo das tatuagens in a flesh....labios amargurados gritando pelo perdão, almas amontoadas nos infernos particulares, fadas ninfomaniacas realizando fantasias inconfessaveis, outro lado de tudo que é este lado....inverso dos versos em qualquer boca que tentam pronunciá-los....intimidade devassa de intimos nucleares..desencontros of black lovers reencontrando-se in a suburban train station, iluminada por bilhões de vagalumes, pés de alfinetes crescendo fractalmente negando a dialética de suas asperezas, animais de ferocidades traduzidas pela kamaradagem instintiva.....please bang this wife....a psique mediando o dialogo conflitante.....deixa disso o amor é o sentido de tudo......fidelidade kanina e interpretações freudianas/jungianas do pesadelo vulgar e do gozo eterno...banalmente qualquer um....outro eu revelado como eu..plan 9...and a hotter day.....it's hard to getting holder.....renascer durante a madrugada em paraisos artificiais amanhecer em infernos emocionais, need some pill???.....sonhar feito a menina que deseja, tirar o corpo fora; só por hoje sonhar!....e, quem disse que o sonho acabou?

Air guitar:
When the Levee Breaks
A Perfect Circle - Emotive

domingo, janeiro 01, 2006

Introspectiva (Maybe I'm Amazed)



- Não traduzo lírismos, não me importo, nada, nunca me foi lírico ou da cor que sonhei, sempre estive cercado de dúvidas e dores, num inexato caminhar em direção a confusão da minha compreensão, nunca disse o que os outros queriam ouvir, sempre tive que escutar o que não imaginei ter que ouvir, e certamente a coisa mais lógica que disse foi o grito primal na hora em que nasci...enquanto os anos foram passando fui me alargando esquecendo o que foi, remoendo dores/alegrias, remorsos/gratidões e incertezas/razões de minha natureza...fui passando como os dias passaram por mim, sempre a acreditar em mim e à buscar entender minhas inquietações, na verdade, nunca quis que alguém as entendem-se-nas, mas desde cedo escrevi frases para entendê-las e conhecê-las...some, kind of wonderful!..., nunca soube sofisticar a linguagem; foi sempre assim como canto da felicidade em boca maledicente; mas meus olhos me ensinaram a enxergar o dedo que indica a lua e o vácuo entre eu e os horizontes que persigo, passo à passo, atravessando noites e dias....não só com as minhas pernas mas, as vezes acompanhado de outras, porém, sempre apoiado nas minhas próprias pernas, levei muito tempo para escrever próprio, escrevia sempre propio, assim como gastei o mesmo tempo aprendendo a subverter a ordem, não num sentido micro-cósmico, mas, no macro-cosmo ...inconformado, com a negação à muitos o que é ou era para ser de todos, acentos me confundem acho que a linguagem poderia ser mais emocional e permitir a todos as dádivas da expressão; Urge! democratizar o processo criativo à exaustão, sempre me permiti parecer contraditório, até que deparo a afirmar-me multidões....nunca esperei muita coisa, mas sempre quis muito de tudo.

Caminhei com pernas tortas por esquinas e encostas, desci montanhas ouvi, U2 até odiar, assim como este montão dos melhores do ano etc e tal, participações especias e duetos tecnológicos via IpFonia.....gosto de música nos auto falantes não cultuo nada, senão a música que me acompanha nesta dança pelo teclado, gosto do silêncio a minha volta, ele soa como o momento de inércia entre o inspirar e expirar...(soar [,] soei)..milhões de vezes por dia me preenchendo de hálito e inexistires fulminantes....Binário de nosso código, não lembro direito se o cheiro da cidade mudou nos últimos anos, mas tenho a perfeita recordação do cheiro desta quando voltei para casa de longe....ansioso por olhar às montanhas que sempre me impressionam por se renderem e renderem o sol!.....a prefect circle!.....feitos os mitos que devoram-se a si mesmo, em todas as culturas e formas da expressão que criam o fenomeno: conhecimento....desde então, o conhecimento torna-se poder...a idéia não é ser incendiário; só explorar as possibilidades que posso reconhecer e compreender. Não!. Contradições mas, o que é comum; ao comum!...sem muita sofisticação...sabe, fácil como beber água para matar a sede....seguir em frente....ter certeza que o mais importante é o que é, não o que será ou o que foi....uma pandemia de insights, brotando n'olho d'água d'alma....anima mundis!

Às vezes atravesso a noite de olhos abertos, assustado como uma criança...imaginando alguma tristeza e o tamanho de minhas incertezas, remoendo minhas picuinhas emocionais me pego curioso ao incentivar o fato, para observá-lo como quem finge não jogar o jogo....gosto de ler coisas estranhas, subversas desestruturadas como o caos que a tudo permeia ocupando-nos à ordená-lo..reject the sistem!....fica ressoando dentro de meus ouvidos dando-me a exata medida de minha dissidência...outras bocas falam o que não posso afirmar, me dizem sobre suas vidas me encantam por não serem eu e parecerem tão sem arranhões, superiores as minhas certezas incertas de si.....não falo melancólico, vou indo como um barco rústico à maré...hora esbarrando in margens, seguindo o caminho do rio querendo saber porque me rio de mim....vou assim compondo meus absurdos....desinventando o que me estrutura, para ter que me reinventar de novo....quantas vezes for necessário ou então, até quando perdurar o alumbramento das naturezas que me cercam...a new year yesterday!

Air Guitar:
The Dead Heart - Midnight Oil
I Got a Fist Full