quinta-feira, março 12, 2015

Peregrino

Peregrinando por ai, perdidos em rumo táo livre que nem percebe, o que passa por sua solidão.....esperar da noite o escuro das expectativas a ambivalencia da vida estar perdido entre escolhas certas e escolhas erradas...reviver a história para conta-la de uma maneira um pouco diferente, perder-se pelo vebo versar de qualquer maneira o verso vem e vai e a cançao muda de intonação sobre vive o passado reinventa e versa de maneira expontanea de forma forçada...engaded soul...embebded plug-in.


  • As avenidas se abriam com as suas paisagens e a manhã transcorria assim se simulava a fantasia do evento do dia, meio ao medo de nada ter a felicidade de ainda existir e nada ter mudado pelo que disse ou não disse, crio a elipse ao mudar de frase no paragrafo verso e erro a gramatica....de novo amanhece em minhas expectativas de novo me vejo alienígena ao que sabia lenimentosamente em seu próprio paraíso como um sonho perdido na pré historia e aquela palavara que não disse nada, gostaria de sentar e contar estórias dos anciçoes e sua sabedoria secular, nos secando internamente nos negando a rebelião. á palavras assim, podem ser bonitas mas não dizem nada!




II

 se não uma bolha de sabão esperando explodir e inventar algo de novo
sobre meus mistérios, a morte nos é um segredo de languidas fantasias.
somos apenas promessas de um sonho tolo, procurando pela luz no escuro.

III

Funk metal marca o território e atesta meu progresso em direção ao inóspito se... outra palavra, é porque me faltam palavras assim, me desescrevo.