sexta-feira, novembro 30, 2007

Verbo ad verbum! (The oralbox pollution)

meu texto continua ruim.
e o meu português pior ainda,
de que outro jeito
conseguiria falar?

deixar de dizer
toda essa bobagem
que insisto tagarelar
coisas assim, como dizer
o que não queria ter dito,
ficar de saia justa no meio do baile
ser barrado, logo; na porta.

- sabe como é?

ter verbos e não saber compo-los,
feito criança que não sabe andar
e, fica dando cabeçada,
no chiqueirinho, por aí !

-até apreender!

como caber na caixa
num outro lado da lua,
u will die, like a star's death
in our ancestrale temple.

é assim quem sabe fala,
e não sabe do que fala
quem não sabe tem a certeza
de dizer alguma coisa.
....subjetivas conspirações.

K...ôlha, olhás o que?!

objetiva é a ideia de vender
milhões de tubos de pasta de dente
aos cariados de plantão...
cruzes, dentes amarelados,
enfraquecidos de flúor e,
clorato de magnésio!

dentaduras dançando nas gengivas,
ensinando que o preço,
p'rá um "corega" é vinte contos
e talvez alguns centavos,
à mais ou à menos!


Air Guitar:
Low
Cracker - Kerosene Hat

Entrelinha:
Zé Urbano

Na fila fica quem necessita!

Nenhum comentário: