quarta-feira, agosto 12, 2009

Diga! Como você quer que escreva o elogio à sua presença?

Diga assim, sem palavras
de qualquer maneira
de qualquer outro jeito,
gruindo, rindo...maledizendo.

Mas diga!

Qualquer outra palavra,
nunca dita,
não sei se há?
mas não duvido.

Sabe-se lá, como a lingua
irá bater nos dentes,
talvez rock, hip-hop,
aerosmith ou faith no more?

Quem sabe entre nacos
de pão francês, mortadela
e, goles de coca-cola:
no café da manhã.

Sabe-se? o que a lingua planeja,
para ontem no meio, dessa urgente
geografia psicosomática;
não quero reviver... mesmas palavras.


Nenhum comentário: